Outros sites Cofina
2021
Notícia

Doce prazer da inovação

O InovPastel tem como objetivo inovar o setor da pastelaria tradicional portuguesa no sentido de desenvolver produtos mais saudáveis.

11 de Março de 2022 às 14:38
Apesar da sua tradição, o setor da pastelaria está associado a produtos calóricos e com impacto negativo na saúde, como aliás ficou patente com a proibição de produtos de pastelaria nas escolas portuguesas imposta em 2021. Neste sentido, surgiu aqui uma oportunidade de criar opções menos calóricas e funcionais para um setor de mercado crescente e inexplorado. É isso mesmo que o projeto InovPastel traz de inovador.

"Os produtos são desenvolvidos a pensar nos consumidores que seguem um estilo de vida saudável ou sofrem de uma condição médica, como por exemplo diabetes ou obesidade", explica Cláudia Amorim, investigadora no Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho e responsável do InovPastel.

O setor da pastelaria beneficiará de opções de pastelaria tradicional funcionais, mantendo o seu sabor original, através da redução do teor de açúcar e gordura, e incorporação de ingredientes menos calóricos e mais saudáveis, tais como fibras dietéticas, obtidas a partir de resíduos agroindustriais (ex.: carolo do milho, dreche de cerveja, soro de queijo) através de um bioprocesso inovador e eficiente, cumprindo com o conceito de economia circular.

Investigação em desenvolvimento

O projeto, desenvolvido pelo Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho (CEB-UM) e Departamento de Engenharia Química da Universidade de Santiago de Compostela (USC), encontra-se na fase de desenvolvimento de produtos, avaliação do consumidor e prototipagem. "Prevemos terminar o desenvolvimento de mais três produtos, além do bolo de arroz, patentear as formulações destes e, posteriormente, licenciá-las a clientes relevantes da área alimentar que tenham interesse em incluir pastelaria saudável na sua oferta e que possuam os mecanismos adequados para levar o produto até ao consumidor", explica Cláudia Amorim.

Ganhar os cinco mil euros do Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola, na categoria "Biotecnologia e Bioeconomia", é para Cláudia Amorim o reconhecimento do trabalho da sua equipa, e sobretudo "uma oportunidade de criar uma plataforma de comunicação com potenciais clientes ou interessados, e também de ampliarmos o leque dos nossos produtos para impulsionarmos um setor que precisa de inovação para ?atender às atuais necessidades do mercado".

Mais investimento precisa-se

O InovPastel necessita de financiamento para continuar a crescer em direção aos seus objetivos e missões e continua ativo na procura de financiamento. Até ao momento foram investidos diretamente 15 mil euros no desenvolvimento de produtos, sendo que o processo de extração das fibras dietéticas foi desenvolvido no âmbito de um projeto de doutoramento do programa MIT – Portugal com uma bolsa de duração de quatro anos apoiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).
Mais notícias