Outros sites Cofina
Negocios em rede
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

EDIA: a água é a energia do Alentejo

A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva é muito mais do que um operador de distribuição de água é, no entender de José Pedro Salema, presidente da EDIA “uma empresa de desenvolvimento que luta pelo desenvolvimento regional”

12 de Dezembro de 2022 às 08:09
Vista geral da barragem do Alqueva
Vista geral da barragem do Alqueva

A EDIA (Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva) é uma empresa pública que tem por missão projetar, construir, explorar e promover o empreendimento do Alqueva. O seu principal serviço é a distribuição de água, principalmente aos clientes agrícolas que beneficiam da infraestrutura hidráulica, mas também os sistemas de abastecimento público que servem uma vasta região do Alentejo, incluindo as cidades de Évora e Beja.

Em 8 de fevereiro de 2002 deu-se o encerramento das comportas da barragem de Alqueva e iniciou-se o enchimento da sua albufeira, criando o maior largo artificial da Europa e a maior reserva estratégica de água portuguesa. Mas o aproveitamento do rio Guadiana no Alqueva tem uma longa história.

A construção do Alqueva estava previsto no plano de rega do Alentejo de 1957, tendo as obras sido iniciadas em 1976 mas interrompidas em 1978. Em 1993 foi decidido reinício da construção, contudo, os trabalhos só se retomaram em 1998, tendo terminado em 2002.


Hoje o Alqueva beneficia cerca de 125 mil hectares, e está a fazer alargamento da área beneficiada em mais 50 mil hectares. Garante ainda o reforço de abastecimento público a mais de 200 mil habitantes no Alentejo. "O volume total de água distribuído durante o ano de 2021 foi de 369,88 hm3, menos 6,34% do que em 2020" refere José Pedro Salema, presidente da EDIA.

O Alqueva é composto pelo aproveitamento hidroelétrico de Alqueva com a barragem, a albufeira, e a central hidroelétrica de Alqueva e o aproveitamento hidroelétrico de Pedrógão com a barragem, albufeira e central hidroelétrica.

Acrescenta-se ainda o sistema abastecimento de água, que beneficia uma área com cerca de 120 mil hectares, e é constituído por um conjunto de 70 barragens, reservatórios e açudes, 46 estações elevatórias, cinco centrais mini-hídricas e uma central fotovoltaica.

 

O olival e o amendoal

Como diz José Pedro Salema, "há um conjunto muito grande de clientes que são, em número e volume, ligados à agricultura e, depois, em importância os sistemas de abastecimento de água público e industrial".

A cultura predominante é o olival seguindo-se o amendoal, dois produtos de que a região do Alqueva é a principal produtora em Portugal. A produção de outros frutos secos, milho, tomate, cebola, alho, melão e melancia, fruteiras (fruta de caroço, citrinos, uva de mesa, entre outras), têm igualmente expressão nos regadios de Alqueva, a par do tradicional cultivo de vinha, cereais e forrageiras.

Na campanha de rega de 2022, o olival representou 56,55%, frutos secos, 21,28%, milho, 5,59%, forrageiras, 2,96%, cereais, 2%, vinha, 4,9% e outras culturas, 6,92%.


Em termos de produção de energia, as mini-hídricas geridas pela empresa atingiram uma produção de 7GWh, e a produção fotovoltaica subiu para os 5 GWh, mas o objetivo é aumentar em vinte vezes esta produção com a instalação de grandes centrais fotovoltaicas flutuantes junto a 45 estações elevatórias da rede primária.


A ideia nasceu há oito anos quando se procurava tecnologias para reduzir a evaporação da água em reservatórios. Na Califórnia usavam bolas de plástico mas o orçamento fornecido atingia um milhão de euros para um reservatório dos mais pequenos, até que surgiu a ideia dos painéis flutuantes que cobrem o reservatório e produzem energia.


Para José Pedro Salema, a EDIA é muito mais do que um operador de distribuição de água, a EDIA é uma empresa de desenvolvimento "que luta pelo desenvolvimento regional". Acrescenta que "está preocupada com a eficiência, o ambiente, com a produção de energia, com a economia circular, para criar uma região mais próspera, uma região com mais emprego e mais desenvolvida".

Prémio Portugal Inspirador Categoria: Sustentabilidade e Economia Social Sustentabilidade - Grandes Empresas
Vencedor: EDIA

2021 Volume de negócios: 35,6 milhões de euros
Resultados Líquidos: 9,8 milhões de euros



Mais notícias