Transportes e Logística 2018 Garland, pronta para os desafios do presente

Garland, pronta para os desafios do presente

Tem em linha de conta as necessidades dos seus clientes, mas revela a dimensão global e a transversalidade dos seus serviços associados aos transportes, logística e navegação.
Garland, pronta para os desafios do presente

Adaptou-se aos desafios do mercado e evoluiu com eles, assumindo-se como uma das cinco empresas mais antigas do nosso país. A Garland soma, actualmente, 242 anos no activo, mas mantém um espírito jovem e a vontade de descobrir e responder aos estímulos que a nova economia global traz consigo.

 

A actuar em três áreas específicas – transportes, logística e navegação –, garante a transversalidade dos seus serviços e a capacidade de ser uma marca global, como as maiores empresas, mas também flexível tendo em conta as necessidades dos clientes, como as mais pequenas. Contas feitas, o grupo tem a capacidade de fornecer soluções completas para a gestão das necessidades da cadeia de abastecimento dos seus clientes.


Reestruturação 

O último ano ficou marcado pela reestruturação do Grupo Garland, que acabou por dar origem a um novo organograma na empresa. A transformação mais visível foi a fusão das operações da Garland Transportes e da Garland Paletes Expresso na Garland Trânsitos, que alterou a sua denominação social para Garland Transport Solutions. De acordo com a empresa, o objectivo foi melhorar o serviço de transportes, disponibilizando mais frequência e tempos de trânsito mais competitivos, assim como a optimização dos recursos subjacentes à actividade. Em 2017, a nova empresa facturou 51,4 milhões de euros, "sendo a que mais volume de negócios gera no grupo".

 

Com esta reestruturação, a Garland procurou ainda optimizar a tecnologia em que tem investido nos últimos anos, com Peter Dawson, presidente do Grupo Garland, a perspectivar terminar a implementação de todos os softwares já no final deste ano. "São tecnologias avançadas que nos permitem oferecer serviços cada vez mais competitivos, com maior informação ao cliente, e automatizar processos, eliminando a burocracia."

 

Tendo a navegação na sua génese, actualmente, o negócio associado ao mar e desenvolvido pelas empresas Garland representa qualquer coisa como 46% do volume de negócios do grupo.

 

A Navegação conta com escritórios conta escritórios em Portugal – Lisboa, Leixões, Setúbal e Portimão – e, desde 2014, também em Espanha – Barcelona, Valência e Algeciras –, representando seis dos principais operadores de transporte de contentores, com mais de 250.000 TEUS transportados no ano passado. Mas, com um negócio cada vez mais diversificado, as empresas de navegação do Grupo Garland disponibilizam serviços de atendimento a todo o tipo de navios, quer de carga ou de passageiros, de áreas tão distintas como a agro-alimentar ou navios de guerra.

 

Com os dois pés no comércio electrónico

Há cerca de um ano, a Garland entrou definitivamente no negócio do eCommerce tendo, para tal, ampliado ampliado partes dos seus centros logísticos na Maia (I e II) e na Abóboda, "com o objectivo de prestar o melhor serviço com a tecnologia mais avançada".

Actualmente com mais de uma dezena de clientes neste sector, dos quais se destaca a parceria de mais de um ano com a Farfetch, a Garland tem já angariado um potencial de facturação anual de cerca de 1 milhão de euros.

"A entrada de um dos maiores ‘players’ mundiais nesta área, como a Farfetch, fez com que tenhamos elevado o nível de exigência dos nossos processos que, sendo apoiados por sistemas de informação de última geração, estão plenamente à altura de satisfazer as necessidades deste tipo de negócio", afirma Ricardo Sousa Costa, administrador responsável pela logística da Garland.

Garland em rota ascendente

No que diz respeito a resultados de negócio, a Garland apresenta um balanço positivo, sendo a média de crescimento anual do grupo, desde 2015, de 9,4%. No ano passado, assegurou uma facturação de 128,2 milhões de euros e um crescimento de 14% face a período homólogo em todo o grupo.

Sensivelmente, 85% do volume de negócios foi originado em Portugal e o restante em Espanha e Marrocos, países onde a Garland possui filiais. 2017 fica ainda marcado pela reestruturação do grupo em quatro áreas estratégicas de negócio, por onde foram distribuídas as nove empresas Garland. A transformação mais visível do novo organograma é a nova empresa Garland Transport Solutions.

O Grupo Garland fechou 2017 a facturar mais 16,1 milhões de euros do que no ano anterior, valor que resulta num crescimento acima das expectativas que, em meados do ano, apontavam para um volume de negócios próximo dos 120 milhões de euros. Do total facturado, 14,7% referem-se aos mercados internacionais, tendo estes registado um crescimento de 23,7% face ao ano anterior. Contas feitas, apenas três anos após a Garland se ter aventurado na internacionalização.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI