Alberto Ramos: "Estamos a investir na economia portuguesa"

"O sucesso das empresas portuguesas estimula o nosso sucesso e a inovação gera mais inovação", referiu Alberto Ramos, CEO do Bankinter Portugal, para quem o crescimento do banco está intimamente associado às empresas que apoia.
 Alberto Ramos: "Estamos a investir na economia portuguesa"
O crescimento do Bankinter associado às empresas foi o mote das intervenções de José Luis Vega e Alberto Ramos.
José Gageiro
Filipe S. Fernandes 17 de abril de 2018 às 11:41
"O tema da inovação é particularmente grato para o Bankinter, o banco é uma entidade de referência pelo seu elevado desenvolvimento tecnológico e pela forte aposta na inovação e na utilização de ferramentas e canais alternativos na sua relação com os clientes", referiu Alberto Ramos, CEO do Bankinter Portugal, na presença de mais de três centenas de empresários na abertura da Plataforma Empresarial sobre a Inovação, realizada a 5 de Abril no Montebelo Vista Alegre Ílhavo Hotel. "Recordo que o banco foi pioneiro em Espanha com a banca telefónica e mais tarde na banca pela internet e posteriormente na banca pelo telemóvel", acrescentou.

A inovação não é moda

Salientou que a inovação está presente desde sempre no Bankinter, como está no ADN de Aveiro e do distrito de Aveiro. "Quero referir que o Sapo aconteceu três anos antes da Google. Mas não foi a primeira experiência marcante no distrito de Aveiro, existiram outras como o Grupo de Estudos de Comutação Automática, em 1955, que deu depois origem ao Centro de Estudos de Telecomunicações e que por sua vez permitiu que Portugal fosse pioneiro na utilização de centrais telefónicas completamente automatizadas", exemplificou.

"A inovação não é uma questão de moda, trata-se da criação de factores distintivos que impulsionem a economia e as empresas nacionais", sublinhou Alberto Ramos. O líder do Bankinter Portugal elencou casos exemplares de inovação como a Via Verde, o Multibanco e soluções utilizadas pela NASA, e por empresas, mesmo em sectores mais tradicionais, como o têxtil e o vestuário. Por isso, "Portugal é reconhecido internacionalmente pela sua capacidade de inovação".

"O crescimento do Bankinter está intimamente associado às empresas que apoia, aos desafios que as nossas empresas enfrentam, que são desafios que nos fazem também a nós crescer e procurar soluções para a sua actividade. O sucesso das empresas portuguesas estimula o nosso sucesso e a inovação gera seguramente inovação", referiu Alberto Ramos. Apontou as linhas de negócio de empresas, banca comercial, seguros e crédito ao consumo que estão com resultados considerados excelentes. "Estamos a cumprir o que é nossa missão, a investir na economia portuguesa e a apoiar as empresas e as famílias", concluiu.

Exemplo de Aveiro

"A inovação, a ciência e o conhecimento são estratégicos para o sucesso das empresas, das cidades e dos países, num mundo em acelerada transformação digital", disse André Veríssimo, director do Jornal de Negócios. Recordou que o Sapo foi uma start-up que nasceu na Universidade de Aveiro e que "é apenas um dos muitos exemplos". Na sua opinião, Aveiro conseguiu percorrer essa linha virtuosa de ligação entre universidades e empresas, com partilha do conhecimento e a sua transformação em valor económico.

Cultura de inovação do Bankinter

O Bankinter nasceu há 53 anos em Espanha quando havia mais de uma centena de instituições financeiras. Hoje não existem mais do que 14 bancos e o Bankinter sobreviveu "sem mudar de nome e tendo o crescimento orgânico como estratégia", frisou José Luis Vega. Um dos segredos foi o facto de "a inovação ter feito parte da cultura e do seu ADN, tendo sido pioneiro na banca telefónica, na banca por internet, na banca pelo telemóvel".

Chegaram a Portugal em Abril de 2016 e apostaram nas empresas. Em 2017 o crédito às empresas cresceu mais de 20%, mas em termos nacionais caiu cerca de 4%. Abriram um terceiro centro de empresas em Lisboa e outro em Leiria e estão a aumentar a estrutura comercial com foco nas empresas, referiu José Luis Vega.

Mais tecnologia em Portugal

Estão a investir para colmatar o gap tecnológico de Portugal face a Espanha. No final de 2018 as duas operações, em termos tecnológicos, terão as mesmas ofertas de produtos e serviços para as famílias e as empresas.

Em Junho do ano passado lançaram uma plataforma em colaboração de empresas portuguesas relevantes pelas exportações. É uma plataforma de trade que permite a emissão, gestão e acompanhamento de cartas de crédito e de remessas documentárias. E vai ser possível fazer os financiamentos online".


Plataforma Empresarial, da inovação ao turismo

Numa altura em que a economia nacional está a dar sinais de forte recuperação, a Plataforma Empresarial, que é uma iniciativa do Bankinter em parceria com o Jornal de Negócios, está a percorrer o país com vários fóruns de debate para discutir e analisar diversas vertentes económicas, numa perspectiva local e nacional, com a participação de destacados oradores.

Conferência a Inovação

A 5 de Abril, em Aveiro, realizou-se o terceiro debate da Plataforma Empresarial, dedicado à "Inovação - A Alavanca da Economia". Contou com Carlos Moedas, comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação que falou dos desafios europeus das empresas e da inovação.

O debate em torno da "Inovação" contou com Ana Abrunhosa, presidente da CCDR do Centro, Jorge Portugal, director-geral da COTEC, e Filipe Teles Nunes, pró-reitor da Universidade de Aveiro.

Por sua vez no painel dedicado aos "Case Studies de Sucesso" estiveram presentes: António Oliveira, presidente da OLI, Benjamim Pinho dos Santos, presidente da Indasa, Fernando Merino, director de Inovação da ERT Têxtil Portugal e José Luis Vega, director Banca de Empresas do Bankinter Portugal. André Veríssimo, director do Jornal de Negócios foi o moderador das duas sessões de debate.

Turismo é o tema

A próxima sessão da Plataforma empresarial vai realizar-se no Algarve a 24 de Maio e o tema vai ser o Turismo. Mais informações serão disponibilizadas em breve no site da iniciativa: plataformaempresarial.negocios.pt 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub