A medição de dados é o primeiro passo

“A organização dos cuidados de saúde em torno do conceito de valor tem vários pilares e formas de ser abordado”, afirmou Francisco Rocha Gonçalves, diretor Healthcare Tecnhologies Management da Luz Saúde.
A medição de dados é o primeiro passo
O debate proporcionou várias abordagens sobre a organização dos cuidados de saúde e as formas de medir resultados.
Vítor Chi
Filipe S. Fernandes 02 de outubro de 2019 às 15:30
A medição de dados é o primeiro dos pilares do paradigma da saúde em valor para o doente. As instituições podem medir de uma forma sistemática, com o apoio de tecnologias de informação, mas quem não tem pode medir na mesma. Recorda Francisco Rocha Gonçalves que "as primeiras instituições que o fizeram usaram papel e lápis. Não mediam de uma forma tão rápida e tão rigorosa nem com tantas variáveis mas mediam".

Mas o antigo administrador do IPO do Porto ressalva que a "medição de resultados não é contar quantas camas, profissionais, especialistas, é contar os que se salvaram, os anos de vida que se acrescentaram, quantas pessoas voltaram ao trabalho, quantos filhos puderam ter a mais depois da doença".

"Devemos saber o que devemos estar a registar porque registar, só por si, não é suficiente. O importante não é os dados, mas o que fazemos com eles. Os países nórdicos são excelentes em bases de dados, mas continua a haver uma grande variabilidade nos resultados alcançados e nas terapêuticas", salientou Cláudia Vaz.

Digital e contratos

A fase seguinte "é a mais difícil mas decisivamente necessária, que é a fase da consequência". Feita a fotografia e o diagnóstico, e é a vez de colocar o verbo Mudar. Pode-se traduzir em integração de cuidados, tanto internos como externos, com as clínicas de patologia, percursos eficientes para o doente, ou fazendo parcerias com centros desaúde, com hospitais à volta.

Segundo Francisco Rocha Gonçalves, em Portugal "há ainda dois pilares que estão a avançar a velocidades diferentes" e que são a transformação digital e os contratos baseados em valor. A transformação digital porque, para o Value Based Helthcare ser feito de uma forma eficiente, tem de ter o apoio das tecnologias de comunicação. O propósito de incorporar computadores, bases de dados nas instituições é facilitar os processos de gestão que foram desenhados.

O último passo, "em que temos algumas esperanças, são os contratos baseados em valor tanto para financiar instituições de saúde, como para remunerar os profissionais e os fornecedores", refere Francisco Rocha Gonçalves.

"Temos de trabalhar muito para que o sistema seja sustentável com o VBH e outras estratégias porque o VBH não é a panaceia universal dos sistemas de saúde mas é um caminho, um instrumento. De cada vez que se trata um doente de forma inadequada estamos a desperdiçar recursos ou se tratamos alguém que não necessita estamos a desperdiçar recursos", refere Alexandre Lourenço, presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares .

Etapas para um modelo eficaz 

Do ponto de vista técnico, é importante haver uma vontade de mudança real, um bom conhecimento do que cada instituição pode oferecer, e começar pela medição dos resultados, é um dos principais conselhos do ICHOM.
Utilizar standards já implementados para iniciar a recolha de dados de uma forma contínua, auditá-los, e iniciar uma interpretação que seja valiosa, sobretudo do ponto de vista do impacto, não só no paciente como, do ponto de vista financeiro, para a própria instituição.

As associações dos pacientes devem estar envolvidas para que o paciente também perceba a importância de estar envolvido neste tipo de processos.

A indústria também pode ser importante para o financiamento de pilotos nos hospitais, que normalmente não têm o dinheiro necessário para testar novos modelos de negócios baseados em valor.

O Estado e as seguradoras deviam fomentar a mudança e há o "papel mediático e a necessidade agilizar estes discursos e estas ideias para que sejam percetíveis para o grande público, o cidadão, os decisores políticos e os pacientes", como aconselhou Fátima Campos Ferreira.




Marketing Automation certified by E-GOI