Outros sites Cofina
Notícia

António Melo Pires é o 49.º mais poderoso da economia

António Melo Pires, Director-geral da Autoeuropa, é o 49.º mais poderoso da economia

Helena Garrido Helenagarrido@negocios.pt 21 de Julho de 2015 às 14:02
António Melo Pires é o 49.º Mais Poderoso 2015
O ano de 2015 não tem corrido bem a António Melo Pires. Em 2014  conseguiu garantir um investimento de 677 milhões de euros para Portugal, mas a introdução do novo modelo tem sido adiada. O que aconteceu foi a descontinuação do modelo Eos com redução de emprego
nas fábricas que dependem da Autoeuropa. Desce ainda porque outras nacionalidades, que não a alemã, começam a assumir peso no
universo empresarial de Portugal. A sua actividade cívica mantém-no entre os poderosos e a sua descida pode ser conjuntural.
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Porque desce

O ano de 2015 não tem corrido bem a António Melo Pires. Em 2014 conseguiu garantir um investimento de 677 milhões de euros para Portugal, mas a introdução do novo modelo tem sido adiada. O que aconteceu foi a descontinuação do modelo Eos com redução de emprego nas fábricas que dependem da Autoeuropa. Desce ainda porque outras nacionalidades, que não a alemã, começam a assumir peso no universo empresarial de Portugal. A sua actividade cívica mantém-no entre os poderosos e a sua descida pode ser conjuntural.


Bilhete de identidade
António Melo Pires, 58 anos

Cargo: Director-geral da Autoeuropa
Outras funções relevantes: Presidente do Conselho Consultivo do Centro Hospitalar Barreiro-Montijo; Presidente da Associação da Indústria da Península de Setúbal (AISET)
Naturalidade: Setúbal
Estado civil: Casado
Formação: Licenciatura em Engenharia Mecânica no IST
A marca de 2015: Lidera a criação de uma associação de indústria em Setúbal


A fábrica que mais alterou o perfil de produção da economia portuguesa comemorou 20 anos em 26 de Abril.

É ali na Autoeuropa, em Palmela, que está a fonte de poder de António Afonso Reynaud Melo Pires, 58 anos, director-geral. É a partir do que ali se faz que consegue convencer os seus líderes na casa-mãe na Alemanha que vale a pena continuar, e até aumentar a produção, em Portugal. Como é a partir da Península de Setúbal que vai alargando o seu poder.

O peso da empresa que lidera na economia portuguesa continua indiscutível, ainda que no ano de 2015 tenham sido mais as más do que as boas notícias. O que acontece na Autoeuropa, apesar de menos do que no passado, continua a ser determinante na evolução da economia portuguesa através das exportações. Menos do que no passado quer pelo aumento da rede de empresas exportadoras na era pós-troika quer por via de um outro grande projecto, a refinaria de Sines.

António Melo Pires tem contudo compensado essa perda relativa da Autoeuropa, ditada pelo sucessivo adiamento do novo modelo, com uma actuação mais activa na vida de Setúbal. Em finais de 2014 integra as empresas fundadoras da Associação da Indústria da Península de Setúbal e assume a presidência. Defende na altura, entre outras coisas, que é preciso tornar a região menos dependente das grandes empresas. Como batalha pelo modelo de formação à alemã. É já neste ano de 2015, em Fevereiro, que é nomeado pelo ministro da Saúde como presidente do Conselho Consultivo do Centro Hospitalar Barreiro-Montijo.

No ano de 2014, conseguiu garantir um investimento de 677 milhões de euros, mas em 2015 o ano foi de emagrecimento na malha de empresas que dependem da Autoeuropa. O fim da linha do Eos está a determinar o despedimento de 200 pessoas na rede de fábricas que dependem da empresa alemã de automóveis.

Para já, o que se está a passar parece ser conjuntural. António Melo Pires garante que a fábrica não tem prazo de validade, que sabe qual é o novo modelo que vai ser produzido em Palmela, que será um carro entre "o grande consumo e o nicho de mercado", mas que não pode revelar por ser ainda segredo.

A chegada de um novo modelo para a Autoeuropa tem sido sucessivamente adiada. Um dos grandes aliados de António Melo Pires, e da Autoeuropa em geral, o sindicalista António Chora, tem revelado que a vinda do novo modelo "já esteve prevista para finais de 2015, meados de 2016 e agora já está em 2017". Será esse projecto que promete duplicar a produção anual para as 200 mil viaturas e criar dois mil novos postos de trabalho até 2019.

Nascido em Setúbal, Melo Pires diz de si próprio que foi o serviço militar, na Força Aérea, que o ensinou a liderar logo muito novo. Sereno e discreto, o seu poder está ainda associado ao que acontece na Autoeuropa.

A chegada do investimento prometido, assim como a sua manutenção na liderança da fábrica, aliada à actividade cívica que começa a ter, fazem de António Melo Pires uma promessa de regresso a lugares mais altos entre os poderosos.