Dez maiores exportadoras de Cascais dominam vendas ao exterior

Cork Supply, Tractus, Logoplaste, Garland, Legrand são algumas das maiores exportadoras de Cascais, e conseguiram, em conjunto, registar um saldo da balança comercial positivo.

Cascais é um dos concelhos com maior poder de compra em Portugal e igualmente um dos que regista maior valorização do seu património imobiliário. Situado na zona metropolitana de Lisboa, esta vila, constituída por quatro freguesias, atrai turistas, investidores e estrangeiros que aqui decidem morar. Dotado de património natural e paisagístico reconhecido, o concelho tornou-se um alvo preferencial para o turismo de praia e de mar.

Ainda assim, e dada a sua proximidade com a capital, não vive apenas do turismo, sendo também um importante centro empresarial. Entre as 10 maiores empresas por volume de negócios, encontramos alguns gigantes como a Brisa, a IT - Internacional de Tabacos, a Estoril Sol, a Logoplaste, a Perfumes e Companhia, entre outras. Em conjunto geraram, em 2017, receitas superiores a 1.413 milhões de euros e empregavam mais de 4.100 colaboradores. O seu EBITDA acumulado (resultados antes de impostos, depreciações e amortizações) ascendeu a 127 milhões de euros.

Estas companhias são também algumas das que mais vendem para fora do país. Segundo o top elaborado pela Informa D&B, as 10 maiores exportadoras venderam, em conjunto, cerca de 184,2 milhões de euros no mercado internacional, ou seja, quase 94% do total do concelho que ficou nos 196,2 milhões.

Estas exportadoras preenchem mais de mil postos de trabalho, sendo que a Tecnocarro, a oitava posição no top 10, tem o maior volume de mão de obra com 385 funcionários. Ainda que a balança comercial do concelho seja deficitária em 407 milhões de euros, as 10 maiores exportadoras conseguiram um balanço positivo em 71 milhões de euros. Cascais organiza mais de 200 eventos anuais, sejam desportivos ou culturais, o que atrai receitas à autarquia, direta e indiretamente. Segundo o INE as receitas do concelho em turismo ascenderam a perto de 137 milhões de euros em 2017, registando-se mais de um milhão e meio de dormidas. São cerca de 75 as unidades hoteleiras no concelho, com capacidade para 8.500 dormidas.


Nota: Se está a ler o artigo na aplicação e não conseguir visualizar a infografia clique aqui



pub

Marketing Automation certified by E-GOI