Dois motores da economia portuguesa

Os têxteis, o vestuário e o calçado vivem um período de grande sucesso e mostram que "a etiqueta made in Portugal é sinónimo de qualidade e que representa muitas vezes o que de melhor se faz no Mundo", referiu Alberto Ramos.
Dois motores da economia portuguesa
Alberto Ramos, country manager do Bankinter Portugal, quer mais empresas.
Simão Freitas
Filipe S. Fernandes 22 de fevereiro de 2018 às 12:56
Os têxteis e vestuário e o calçado "são dois motores chave da nossa economia", começou por referir Alberto Ramos, country manager do Bankinter Portugal, na abertura do evento da Plataforma Empresarial dedicada às Indústrias Nacionais de Excelência - Calçado e Têxteis, que se realizou no Melia Braga Hotel & Spa, no passado dia 8 de fevereiro e a que assistiram mais de 150 empresários da região que seguiram o debate sobre o têxtil e o calçado com grande interesse.

Alberto Ramos, um gestor com grande experiência bancária, sublinhou que "estes dois sectores vivem um período de sucesso, tendo dado nos últimos anos um contributo importante para as exportações portuguesas, conseguindo mesmo números inéditos nos valores das exportações". No entanto reforçou que "vivem ainda assim grandes desafios" e, por isso, a importância do debate e da partilha de informação, conhecimento e oportunidades entre empresas e empresários, que é apanágio da Plataforma Empresarial, um projecto desenvolvido pelo Bankinter em parceria com o Negócios.

Made in Portugal

"Este renascimento das indústrias ditas tradicionais , como as indústrias do têxtil e do calçado, surgiu depois de crises intensas". "Passaram por momentos complicados não há muitos anos e acho que é muito importante reconhecer que num curto espaço de tempo foram capazes de dar a volta a esses momentos de dificuldade, de encontrar caminhos diferentes e de serem hoje sectores que reconhecemos serem muito importantes para a economia portuguesa. E acima de tudo são sectores que souberam sair das suas zonas de conforto e saíram do país para mostrar que a etiqueta made in Portugal é sinónimo de qualidade e que representa muitas vezes o que de melhor se faz no Mundo", referiu Alberto Ramos.

O líder do Bankinter Portugal não deixou de dizer que, se esta mudança estrutural é um "orgulho de ser Portugal", não os transforma em sectores à prova de tudo. "Nenhum sector pode dizer que o é no mundo em que vivemos e em que a velocidade da mudança e os factores que nos afectam são cada vez maiores e acontecem a um ritmo cada vez mais alucinante", disse. Mas o facto de terem sido capazes de dar a volta é um factor de confiança "de que terão criado as condições para o futuro, porque os ciclos se sucedem e hoje estamos num ciclo francamente positivo, mas sabemos que virão ciclos menos positivos. No entanto, temos a certeza de que estes sectores vão ser capazes também em contextos mais difíceis".

Bankinter e empresas

Alberto Ramos não quis deixar de referir que o crescimento do Bankinter "está intimamente associado ao crescimento das empresas que apoiamos. É assim há cerca de 52 anos no Grupo Bankinter em Espanha e há quase dois anos no Grupo Bankinter Portugal". Acrescentou que "os desafios que as empresas enfrentam e para os quais solicitam o nosso apoio são também desafios para o Bankinter e fazem-nos crescer enquanto organização. O vosso sucesso estimula também o nosso sucesso".

"Quando viemos há dois anos para Portugal dissemos que vínhamos para investir, para apoiar as empresas e os particulares. É o que estamos a fazer. Estamos a apoiar o tecido económico português, por isso contem connosco", disse Alberto Ramos. O gestor acredita que "independentemente de serem pequenas, médias ou grandes empresas, as empresas activas, sólidas e com projectos são o verdadeiro motor de crescimento da economia portuguesa".

tome nota

O que é a Plataforma Empresarial

Numa altura em que a economia nacional está a dar sinais de forte recuperação, a Plataforma Empresarial, que é uma iniciativa do Bankinter em parceria com o Jornal de Negócios, está a percorrer o país com vários fóruns de debate para discutir e analisar diversas vertentes económicas, numa perspectiva local e nacional, com a participação de destacados oradores.

Conferência
As Indústrias Nacionais de Excelência

A conferência da Plataforma Empresarial dedicada às Indústrias Nacionais de Excelência - Calçado e Têxteis realizou-se no Melia Braga Hotel & Spa, no passado dia 8 de Fevereiro. A abertura esteve a cargo de André Veríssimo, director do Jornal de Negócios e Alberto Ramos, Country Manager do Bankinter Portugal.

O primeiro painel teve como tema "As Indústrias estrela da economia nacional - Calçado e Têxteis como motores de crescimento" e estiveram presentes Jorge Marques dos Santos, presidente do IAPMEI, Leandro de Melo, director-geral do CTCP - Centro Tecnológico do Calçado Portugal, e João Costa, vice-presidente da ATP.

No segundo painel "Cases Studies de Sucesso & Doing Business" contou-se com as experiências de Fortunato Frederico, CEO da Kyaia, José Luis Vega, director de Banca de Empresas do Bankinter Portugal, Joaquim Ferreira de Almeida, presidente da Têxteis JFAlmeida, e José Manuel Vilas Boas Ferreira, CEO do Grupo Valérius. A moderação foi feita por André Veríssimo, director do Jornal de Negócios. O discurso de encerramento foi da responsabilidade de Carlos Oliveira, Presidente da InvestBraga.

Próxima conferência
A 5 de Abril o tema vai ser a Inovação, em Aveiro, com a presença do Comissário Europeu, Carlos Moedas.

Mais informações
serão disponibilizadas em breve no site da iniciativa: plataformaempresarial.negocios.pt






pub