Outros sites Cofina
Notícia

Nils Rokke: "Na Noruega sai mais barato comprar carro eléctrico"

A Noruega é o país europeu que lidera a transição para os carros eléctricos. Nils Rokke do centro de estudos SINTEF explica o que é que está a causar a revolução da mobilidade eléctrica, com a forte ajuda dos incentivos estatais.

André Cabrita-Mendes andremendes@negocios.pt 23 de Março de 2017 às 11:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Qual o segredo da Noruega no campo da mobilidade eléctrica? A nação escandinava liderou as vendas de carros eléctricos em 2015 e 2016 na Europa. Actualmente 40% dos carros novos no país são eléctricos, híbridos plug-in ou movidos a hidrogénio. Os incentivos fiscais, o apoio político e a facilidade de utilização foram essenciais para promover esta transição, conforme explica Nils Rokke do centro de estudos norueguês SINTEF. Doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU) em Trondheim, juntou-se ao SINTEF em 2004, actualmente é vice-presidente executivo para a área de sustentabilidade.

A Noruega é o país europeu onde se vendem mais carros eléctricos. Quais os incentivos que existem?
Existe um apoio sustentado aos veículos de zero emissões na Noruega desde 1991. Assim, não há nenhum imposto especial para os carros eléctricos, não existe IVA, não há imposto de circulação, os carregamento são grátis nos parques de estacionamento públicos, não são cobradas portagens. O carro eléctrico na Noruega custa quase o mesmo quando sai da fábrica. Por outro lado, a Noruega tem impostos muito pesados nos carros movidos a combustíveis fósseis, que têm sido historicamente muito elevados. Isto significa que os carros eléctricos são muito mais em conta na Noruega. Por exemplo, um Nissan Leaf é mais barato que alguns modelos da Volvo, Opel ou Ford. As pessoas vêem aqui um benefício económico, porque os custos são mais baixos, e penso que isso afastou as dúvidas que as pessoas tinham sobre os carros eléctricos.

Os noruegueses responderam bem a estes incentivos...
Na verdade, as vendas explodiram. Estamos a falar de 150 mil carros eléctricos e híbridos plug-in na Noruega, é 5% do total do parque automóvel. Se olhar para as vendas de novos carros, um em cada três é um carro eléctrico ou híbrido plug-in. Tem havido muito sucesso em relação a mudar o comportamento dos clientes para escolherem carros eléctricos. Somos um país pioneiro nesta área e à medida que as pessoas ganham mais experiência, vêem que os carros eléctricos são funcionais, que podem carregá-los em vários pontos, em casa, no parque de estacionamento, na auto-estrada, ou nos pontos de carregamento rápido. Isto mudou a opinião das pessoas. Os incentivos do governo tiveram uma forte reacção por parte do mercado, a resposta tem sido muito impressionante.

Esta aposta está fortemente relacionada com os benefícios económicos.

Um em cada três carros novos é um carro eléctrico ou híbrido plug-in.

Que outros factores é que tiveram um impacto positivo nas vendas?
Penso que o lado económico e a facilidade de utilização são muito importantes. E também, no final do ano passado foram implementadas restrições à circulação de carros a gasóleo na capital da Noruega, Oslo, devido à poluição do ar. E as pessoas começam a ver aqui uma tendência. Penso que também é muito importante haver muitos locais para carregar o veículo e também o facto de ser mais barato ter um carro eléctrico do que um movido a combustível fóssil.

A Noruega tem uma boa rede de carregamento de carros eléctricos pelo país fora?
Existe o apoio do Estado para desenvolver postos de carregamento com o objectivo de haver postos de carregamento a cada 50 quilómetros de distância nas principais estradas, com o mínimo de dois postos de carga rápidos. Algumas estações de serviço de combustível fóssil também já têm disponíveis postos de carregamento. Por exemplo, a Tesla desenvolveu uma rede de postos de carregamento entre as maiores cidades na Noruega, com os seus supercarregadores. Gastar 15 a 20 minutos de carregamento não é muito tempo.

É preciso pagar para carregar o carro eléctrico na rede de carregamento?
Os carregamentos na rede pública são gratuitos, mas os carregamentos num posto gerido por uma energética têm de ser pagos. Mas regra geral, a electricidade é bastante barata na Noruega.

Tem havido uma discussão no Parlamento norueguês sobre o fim das vendas de carros movidos a combustíveis fósseis a partir de 2025. Esta meta não é demasiado ambiciosa?
Devíamos fazê-lo, mas não penso que esta seja uma meta fácil. Não penso que isso seja alcançável, é difícil ver isso acontecer.

Os actuais incentivos terminam em 2020. Considera que vão ser alargados ou vão terminar na data prevista?
Na Noruega questiona-se se este tipo de incentivos vão permanecer intactos. Esta extraordinária excepção que existe sobre os carros eléctricos é pouco comum. Podemos antecipar que alguns destes apoios vão mudar, mas penso que existe um consenso que não é possível taxar estes carros sobre as suas emissões porque eles não poluem. Penso que todos estes benefícios, que parecem um pouco desproporcionais, irão ser retirados gradualmente ao longo do tempo. Também é importante ter em conta o rendimento que o Estado recebe dos impostos sobre os combustíveis fósseis para os carros eléctricos, é preciso fazer uma transição gradual.