Jogo da Bolsa: Comprar ações a crédito ("margin buying")

Comprar ações a crédito é um mecanismo intensificador dos riscos que pode agravar a queda do mercado quando os investidores não conseguem cobrir perdas.
Jornal de Negócios
pub
jng@negocios.pt 14 de novembro de 2014 às 12:00

Vamos aqui abordar um tema bastante delicado: a possibilidade de comprar ações a crédito, isto é, recorrendo a um empréstimo para o financiamento (ainda que parcial) desse investimento. Trata-se de uma estratégia bastante arriscada visto que intensifica o risco de um investimento, que já de per si é bastante arriscado.


As ações são títulos representativos do capital social das empresas e estas usualmente recorrem à dívida para financiar (ainda que parcialmente) os seus ativos. Assim quando compramos ações de uma empresa estamos expostos aos riscos inerentes ao negócio dessa empresa bem como aos riscos financeiros decorrentes da forma como a mesma decidiu financiar os seus investimentos. Logo quando investimos em ações já estamos indiretamente expostos ao risco financeiro.


A maioria dos investidores sabe que tem interesse em diversificar a sua carteira, por forma a eliminar os riscos específicos das ações que as compõem. Sacrificam assim a rendibilidade potencial decorrente da possibilidade de fazerem uma boa seleção de títulos, a favor de uma diversificação do risco, que visa fundamentalmente reduzir as perdas potenciais. Uma carteira ainda que bem diversificada poderá ainda estar exposta ao risco financeiro, devendo refletir a estrutura financeira média típica vigente no mercado.


A forma de eliminar essa exposição ao risco financeiro é investir também em títulos de dívida, desalavancando dessa forma a carteira diversificada, ou seja repartindo por exemplo o investimento entre ações e obrigações, fazendo assim uma carteira diversificada também entre as várias classes de ativos.


Quando, pelo contrário, se financiam ações a crédito está-se a realavancar algo que, pela sua própria natureza, já estava alavancado. Daí que se esteja a intensificar o risco, em vez de o estar a diversificar.

pub


Fica, assim, dado o alerta: a compra de ações a crédito é um mecanismo intensificador dos riscos (e não seu redutor), que pode agravar a queda do mercado quando os investidores não conseguem cobrir as suas perdas (ou seja pagar as margin call) e são forçados a vender parte da sua carteira para o efeito. Este mecanismo só funciona favoravelmente caso haja uma variação positiva no valor da carteira, superior à taxa de juro paga pelo empréstimo. Ou seja, a alavancagem é uma arma de dois gumes ajuda-o à festa, mas cuidado com a ressaca! n

____________

___________________

Jogo da Bolsa
3 a 21 de Novembro

As classificações do Jogo da Bolsa 2014 são actualizadas diariamente. Em primeiro lugar, um Top é publicado no Negócios e às 14 horas a listagem total é publicada no Jornal de Negócios Online (www.negocios.pt). Para o efeito, todos os dias é retirada uma classificação provisória da Classificação Global, a Classificação Universitária e da Classificação Universo ISCTE Business School. Depois, todas as terças-feiras, é divulgado o vencedor semanal. Na primeira semana, o vencedor da classificação é quem ficar à frente na classificação global. Nas semanas seguintes, o vencedor da semana pode não corresponder ao líder do jogo. Saiba quais são os prémios desta edição do Jogo da Bolsa em http://jogodabolsa.negocios.xl.pt/index.html

pub

Este artigo foi redigido ao abrigo do novo acordo ortográfico.

pub