Outros sites Cofina
Notícia

Alavancagem com conta margem

Para além do seu interesse lúdico, a oportunidade para experimentar diferentes produtos financeiros ou o apelo dos prémios disponíveis, o Jogo da Bolsa tem procurado cumprir também um papel pedagógico ao longo das suas várias edições.

Negócios 20 de Novembro de 2020 às 12:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Marco António Oliveira, Administrador do Caldeirão de Bolsa

Para além do seu interesse lúdico, a oportunidade para experimentar diferentes produtos financeiros ou o apelo dos prémios disponíveis, o Jogo da Bolsa tem procurado cumprir também um papel pedagógico ao longo das suas várias edições. Hoje abordaremos sucintamente o mecanismo de alavancagem via conta margem, que é comum a um leque de produtos financeiros disponibilizados na plataforma utilizada neste evento, como os CFD (Contracts for Difference) ou os pares cambiais do Forex.

Este mecanismo de alavancagem funciona da seguinte forma: quando o investidor abre uma nova posição, em lugar de cativar o total do investimento, apenas se retém uma parcela do total da exposição, sendo o rácio a aplicar precisamente a margem definida para esse produto. Assim, se a margem definida for de 10% e a posição corresponder a uma exposição de 120.000 euros, significa então que apenas 12.000 euros são retidos a título de margem. Se se dispuser, à partida, de 100.000 euros para investimento, a manutenção desta posição significaria que restariam ainda 88.000 euros para outros investimentos. No limite, para uma margem de 10%, o investidor poderia assumir uma exposição de até 1 milhão de euros, o que corresponderá a uma alavancagem financeira de 10 vezes.

Naturalmente, a alavancagem permite explorar pequenas variações nos ativos e dessa forma exponenciar os potenciais retornos, coisa que é particularmente importante num evento de relativa curta duração como o Jogo da Bolsa. Mas, associado a esta forma de alavancagem, existem também riscos adicionais como o risco teórico de uma perda maior que o total investido, o que, no limite, poderia conduzir o investidor a valores de carteira negativos. Para reduzir este risco existe então o denominado "margin call". Este mecanismo de proteção força o investidor a fechar posições quando o índice de alavancagem ultrapassa valores predefinidos, uma situação com que os participantes menos afortunados do Jogo da Bolsa se poderão deparar.

Durante o evento, os participantes devem ter também em atenção as margens definidas especificamente para as diferentes classes de ativos, conforme definidas nos pontos 6 e 7 do regulamento. De salientar em particular as margens praticadas para os pares cambiais no Forex, que são inferiores às que tipicamente se encontram disponíveis na negociação real, com o objetivo de fomentar uma utilização mais diversificada dos produtos financeiros disponíveis, dado que as margens típicas da negociação real (que permitiriam enormes alavancagens) tenderiam a atrair a esmagadora maioria dos participantes, conforme se verificou em edições passadas do Jogo da Bolsa.



JOGO DA BOLSA16 de novembro a 11 de dezembro
O Jogo da Bolsa já está no terreno e termina a 11 de dezembro. As diversas classificações serão divulgadas nos dias úteis no site jogodabolsa.jornaldenegocios.pt e na versão impressa do Jornal de Negócios. Até ao final da iniciativa estas classificações serão sempre provisórias e poderão ser alvo de correções.

Todos os dias é retirada uma classificação provisória da Classificação Global, da Classificação Universitária e da Classificação Universo ISCTE Business School, que é divulgada no dia seguinte também no jornal impresso. Às terças-feiras é divulgado o vencedor semanal. O Jogo da Bolsa 2020 é um passatempo organizado pelo Negócios em parceria com a GoBulling e com o ISCTE Business School, e ainda o apoio do Caldeirão de Bolsa. 
Mais notícias