Inês Oliveira: Ansiosamente monitorizando os mercados

O clima que nos mercados mais marcou os primeiros dez meses do ano não foi o da complacência, mas o da ansiedade.
Inês Oliveira: Ansiosamente monitorizando os mercados
Justin Lane/EPA
Negócios 19 de novembro de 2019 às 12:30
Procurar explicações racionais sobre o comportamento dos mercados financeiros é como procurar padrões num mar violento. Com todas as suas contradições, a informação é o que aproxima ou afasta compradores e vendedores. Os preços refletem (instantaneamente?) uma mistura de emoções, preconceitos e dissonâncias cognitivas e, por vezes, cálculos frios. O sinal mais comummente observado é a complacência com as ameaças, frequentemente ignoradas até ser tarde demais. No entanto, o clima que nos mercados mais marcou os primeiros dez meses do ano não foi o da complacência, mas o da ansiedade.

E é esta ansiedade que explica, de forma muito evidente, o acentuado apetite por ouro e dívida soberana, tidos como ativos de refúgio, que tem vindo a subir, refletindo uma valorização destes ativos, ao mesmo tempo que a globalidade dos mercados acionistas mundiais denotam uma "performance" claramente positiva com as bolsas a revelarem consecutivamente novos máximos históricos. Na Alemanha, onde os indicadores mostram que a economia poderá estar em retrocesso, a curva de rendimentos regista taxas de juro negativas em todas as maturidades de referência. A Comissão Europeia reforçou as previsões de crescimento em baixa. O euro (EUR) tem vindo a perder para as restantes divisas cerca de 4%. O mesmo acontece na Suíça onde as "yields" negativas também se estendem até aos 50 anos de maturidade. Mesmo na Itália endividada e muito propensa a crises, um título do Tesouro a dez anos remunera com apenas 1,5%. Paralelamente, nos Estados Unidos, embora na última semana se tenha observado uma ligeira tendência de subida nas maturidades mais longas, a curva de rendimentos encontra-se invertida o que, teoricamente, é um forte prenunciador de recessão, mas os dados económicos e empresariais em geral superaram as expectativas. O anúncio de um acordo comercial parcial entre a China e os EUA e a redução dos riscos de um não acordo para o Brexit foram determinantes para a estabilização que aponta este último trimestre do ano, levando os mercados a reagir quase de imediato.


Os receios de uma anunciada recessão até agora não se confirmaram. De facto, embora a um ritmo mais lento do que em 2018, a economia mundial está em crescimento.


Nas "commodities", o cobre, principal indicador da "performance" industrial da economia global, viu o seu preço cair cerca de 2%. Em linha com o preço do cobre, o preço do crude caiu abaixo do referencial psicológico dos 60 dólares por barril. No seu conjunto, o Brent e o crude registam perdas de 11,5% e 5,6% no último ano.

Para muitos, estes sinais seriam claramente o prenúncio de uma recessão global. No entanto, os receios de uma anunciada recessão até agora não se confirmaram. De facto, embora a um ritmo mais lento do que em 2018, a economia mundial está em crescimento. A desaceleração económica global e os riscos geopolíticos terão sido os fatores que mais contribuíram para uma maior incerteza global, mas, embora ainda muito presentes, estes fatores de risco parecem bem enquadrados para uma estabilização do ciclo económico.

Se, de facto, os dados económicos continuarem a melhorar e os riscos geopolíticos a perder intensidade, é muito provável que nos próximos meses a tendência de expectativas negativas e recessivas se inverta, afastando, pelo menos por agora, a enorme ansiedade dos mercados que tem vindo a caracterizar o comportamento dos investidores em grande parte do ano.

Inês Oliveira é risk manager no BBVA Portugal

jogo da bolsa

18 de Novembro a 13 de Dezembro

As classificações do Jogo da Bolsa são atualizadas diariamente. Em primeiro lugar, um top é publicado no Negócios e às 14 horas a listagem total é publicada no Jornal de Negócios Online. Para o efeito, todos os dias é retirada uma classificação provisória da Classificação Global, a Classificação Universitária e da Classificação Universo ISCTE Business School. Depois, todas as terças-feiras, é divulgado o vencedor semanal.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI