Outros sites Cofina
Notícia

Exportações de Sintra concentradas na indústria alimentar e tabaco

A maior empresa do concelho de Sintra é a Mercedes que, no entanto, não faz parte da lista das 10 maiores exportadoras do município. Esse “ranking” era liderado em 2013 pela Somague.

Nuno Aguiar naguiar@negocios.pt 22 de Setembro de 2015 às 09:00
Bruno Simão/Negócios
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Quase metade das exportações de Sintra dizem respeito à venda de produtos da indústria alimentar, bebidas e tabaco. A saída de bens do município para o exterior tem acelerado nos últimos anos, em sentido contrário ao das importações. Ainda assim, Sintra continua a ser um concelho deficitário.

Em 2014, Sintra exportou 1,31 mil milhões de euros. Um crescimento significativo face aos 1,04 mil milhões registados em 2010. Mais de 44% das vendas feitas no ano passado vieram de um só sector: bens de indústrias alimentares, bebidas e tabaco. Forma cerca de 580 milhões de euros. A seguir, embora a alguma distância, surgem duas categorias de produtos: máquinas e aparelhos (180 milhões de euros); e produtos de indústrias químicas (156 milhões).

Esta dependência de um só tipo de bens não se reflecte na dependência de uma empresa para vender ao exterior. Segundo os dados de 2013 da Informa D&B, a principal empresa exportadora do concelho é a Somague, grupo de construção, com 94 milhões de euros, seguida pela Hikma Farmacêutica, a Euroatlantic Airways e a Tabaqueira, todas elas a rondar os 64/66 milhões de euros. Contudo, deve referir-se que a Somague é também uma importadora de grande volume (86 milhões) ao contrário das outras duas empresas.

A Tabaqueira é também a terceira maior empresa do município, quando medido em volume de negócio, apenas atrás da VASP e da líder Mercedes, que está perto dos 345 milhões de euros.
 
Nos últimos quatro anos, as importações de Sintra têm seguido uma trajectória contrária às exportações, replicando aquilo que se passou no resto do país. De mais de 2,71 mil milhões de euros em 2010, caíram para 2,39 mil milhões.

O resultado é um défice comercial a encolher de -1,7 mil milhões de euros para -1,08 mil milhões.
Forças, fraquezas, ameaças, oportunidades
FORÇAS
Infra-estruturas
Sintra está a cerca de meia hora de Lisboa de carro e de comboio.  
Localização A proximidade à capital do país facilita o acesso aos centros de decisão.
Património mundial A distinção pela UNESCO como Património da Humanidade promove o turismo.

FRAQUEZAS
Tempo A instabilidade metereológica e o ambiente húmido podem ter impacto negativo quer no turismo quer na qualidade de vida dos habitantes.
Trânsito À hora de ponta, chegar a Lisboa é um desafio. O trânsito e a falta de estacionamento são também um problema para quem deseja visitar o centro histórico no Verão.

AMEAÇAS
Proximidade de Lisboa A oferta cultural e de serviços da capital portuguesa pode tornar menos atractivo por comparação viver ou trabalhar em Sintra.
Fluxo turístico Aproveitar a potencialidade turística da vila de Sintra sem degradar o património é um dos desafios do concelho.

OPORTUNIDADES
Geografia Entre a serra e as praias, Sintra tem oportunidade de aproveitar a proximidade do mar para desenvolver novos centros de lazer.
Área disponível Ao contrário de Lisboa, Sintra tem território disponível para investir e a preços mais acessíveis.
Programas de apoio A autarquia tem disponíveis vários planos de apoio a novos investidores. 

Mais notícias