Outros sites Cofina
Notícia

Dez empresas representam 93% das exportações de Viseu

Tal como a totalidade do País, o concelho de Viseu depende de um pequeno número de empresas para garantir quase todas as suas exportações de bens.

Nuno Aguiar naguiar@negocios.pt 15 de Abril de 2015 às 00:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

São apenas dez empresas, mas representam quase todas as exportações feitas por Viseu em 2013. As maiores vendedoras do concelho pesam 93% no total das saídas de bens.


Nos últimos anos tornou-se um lugar comum dizer que Portugal depende muito das suas grandes empresas para vender ao exterior. Sem Galp, TAP ou Autoeuropa, entre outras, as exportações portuguesas seriam muito inferiores. Segundo o INE, embora as grandes empresas representem 1,1% do tecido empresarial nacional, são responsáveis por 43% das exportações.


Neste aspecto, Viseu é o espelho do País. Os números fornecidos pela Informa DB ao Negócios mostram que as dez maiores exportadoras de Viseu venderam mais de 74 milhões de euros de bens em 2013. No seu todo, o concelho exportou cerca de 80 milhões, o que significa que essas dez empresas têm um peso de 93% no total vendido.


Se reduzirmos ainda mais o leque de empresas analisadas, é possível ainda verificar que as quatro maiores são responsáveis por 57% do total. São elas a Visabeira, Habidecor, JLS - Transportes Internacionais e Gouveia & Campos.


Viseu é ainda o espelho do país por outro motivo. Tal como Portugal, tem um défice da balança comercial de bens. Aliás, pelo menos desde 2005 que o tem. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, o concelho tinha um saldo negativo de 23 milhões de euros em 2013, não muito longe da média dos nove anos anteriores, de -33 milhões.


As duas maiores exportações de Viseu são máquinas, aparelhos e material eléctrico e matérias têxteis, ao passo que as maiores importações são animais vivos e produtos do reino animal e máquinas e aparelhos. Entre 2005 e 2013, tanto as exportações como as importações do concelho cresceram.


De longe, os animais vivos são o que mais contribui negativamente para o saldo comercial.

 

FORÇAS

 

Centralidade Viseu está no centro do país. É, por isso, acessível de vários pontos sem grandes viagens
Ligações A A25 que faz a ligação a Aveiro e Vilar Formoso e a A24 liga a Vila Real e Chaves
Qualidade de vida É referida por muitos empresários. Viseu é um bom concelho para fixar pessoas

 

FRAQUEZAS

 

Rodovias Acessos a Viseu pecam pela falta de uma ligação sem portagens. O IP3 é considerado um ponto negro
Ferrovia Há queixas das ligações ferroviárias. O comboio passa em Mangualde e Nelas, mas não em Viseu
Preço dos parques A autarquia diz que já reduziu, mas ouvem-se queixas sobre o preço dos parques industriais

 

AMEAÇAS

 

Interioridade Apesar de central, Viseu não deixa de ser um concelho do interior do país
Importações Apesar do concelho exportar 80 milhões de euros, há muitos bens que têm de entrar em Viseu
Peso da Visabeira Se é positivo ter uma empresa como a Visabeira, é também um risco pela dependência

 

OPORTUNIDADES

 

Investimento Autarquia garante que está a desbloquear projectos pendentes. Diz que a desmaterialização da relação com os munícipes também ajuda
População O concelho tem conseguido conquistar população e crescido a uma média de mil pessoas por ano 
Exportações Tem uma das maiores empresas nacionais, a Visabeira. E já tem exemplos de inovação

 

 

Mais notícias