José Manuel Bernardo: "Há muitos casos de sucesso em Portugal e, às vezes, esquecemo-nos disso"

Para José Manuel Bernardo, presidente da PwC, "é importante celebrar os sucessos das empresas portuguesas e os seus contributos para o desenvolvimento".
TOZE Canaveira
pub
Filipe S. Fernandes 20 de junho de 2018 às 11:29

"Celebrar os sucessos das empresas portuguesas e, em conjunto, dignificar o trabalho que tem sido feito por todos os empresários, por todos os agentes económicos que têm contribuído para o desenvolvimento económico" são os objectivos do prémio Excellens Oeconomia, sublinhou José Manuel Bernardo, presidente da PwC Portugal, na cerimónia de distinção da 6ª edição do prémio, organizado pelo Jornal de Negócios e a PwC, que se realizou no Hotel Ritz em Lisboa.
Referiu que a última década, em Portugal, foi um período difícil e complicado para todos, mas que a coragem, a visão e a inovação colectiva permitiram fazer um caminho de recuperação. "É um país que está de facto a evoluir, é reconhecido internacionalmente como um exemplo de recuperação", sublinhou.
"Há que fazer o louvor e o reconhecimento de todo os empresários. Há muitos casos de sucesso em Portugal e, às vezes, esquecemo-nos disso", disse José Manuel Bernardo. E os exemplos existem em todos os sectores, desde os mais tradicionais, como os têxteis e a cortiça, até à metalurgia ou agro-indústria até em áreas em que pontifica a inovação e a tecnologia.
Outsystems e Sonae
Deu o exemplo da entrada, com 360 milhões de dólares, da Goldman Sachs e da KKR no capital da Outsystems, o que avalia a empresa portuguesa em mais de mil milhões de dólares. "Um investimento extraordinariamente significativo, é um sinal de confiança nos empresários portugueses e na capacidade de inovar que existe em Portugal", foi a conclusão de José Manuel Bernardo.

Há que fazer o louvor e o reconhecimento de todos os empresários. Há muitos casos de sucesso em Portugal e, às vezes, esquecemo-nos disso.
Um investimento extraordinariamente significativo é um sinal de confiança nos empresários portugueses e na capacidade de inovar que existe em Portugal.
José Manuel Bernardo
Presidente da PwC Portugal

Fez menção ainda ao prémio especial do júri, que foi dado às empresas resilientes. "Estas entidades, que passaram por um muito mau bocado, foram afectadas , gravemente, pelos incêndios que tivemos no Verão passado, tiveram a capacidade de se reerguerem sem estar à espera de ajudas, de incentivo ou apoio, e tiveram a coragem de avançar", assinalou José Manuel Bernardo.
Acrescentou que este "conjunto de empresas é um exemplo do que a resiliência dos empresários portugueses e a vontade crescer e de fazer com que as coisas aconteçam. É importante reconhecer este tipo de coragem pois são um exemplo para todos".
Recordou ainda a memória de Belmiro de Azevedo, que fez parte do primeiro júri do Prémio Excellens Oeconomia. "Foi um empresário e um homem extraordinário, que muito contribuiu para este país", referiu José Manuel Bernardo, que elogiou a visão do empresário que construiu o Grupo Sonae. 
Quem é quem no Prémio Excellens Oeconomia
O Prémio Excellens Oeconomia vai na 6a Edição e é organizado pelo Negócios e a PwC. Esta iniciativa distingue as melhores práticas e as empresas e personalidades do mundo empresarial e económico, que contribuem para o progresso do país.
O Prémio Excellens Oeconomia atribui o prémio Personalidade do Ano e prémio Empresa do Ano.
Alberto Castro, economista e professor na UCP (Porto).
Ana Pinho, presidente da Fundação de Serralves.
André Veríssimo, director do Jornal de Negócios.
António (Sarmento) Gomes Mota, professor catedrático no ISCTE Business School.
António Brochado Correia, sócio da PwC .
António Lobo Xavier, advogado na Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados.
António Saraiva (CIP), presidente da CIP.
António Vitorino, candidato a director-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM).
Emílio Rui Vilar, administrador não executivo da Fundação Gulbenkian.
Fátima Barros, professora associada da Católica Lisbon Business & Economics.
José Manuel Fernandes, presidente do CA da Frezite.
Luís Amado, consultor e presidente do Conselho Superior da EDP.
Luís Marques Mendes, advogado e consultor na Abreu Advogados.
Madalena Cascais Tomé, CEO da SIBS.
Miguel Setas, presidente da EDP Energias do Brasil.
Pedro Rebelo de Sousa, sócio da SRS Advogados.
Ricardo Reis, Economista e professor na London School of Economics.
Os vencedores do Excellens Oeconomia
Prémio Personalidade
2013 Luís Portela, chairman da Bial
2014 António Melo Pires, vice-presidência de produção do grupo Volskwagen na América do Sul
2015 Isabel Vaz, CEO da Luz Saúde
2016 António Horta Osório, CEO do Lloyd's Bank
2017 Nuno Amado, presidente do BCP
2018 Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud

Prémio Empresa
2013 Frulact
2014 Sogrape Vinhos
2015 The Navigator Company (então Grupo Portucel-Soporcel)
2016 Corticeira Amorim
2017 Pestana Hotéis
2018 TMG Automotive

Prémio Especial do Júri
2013 Universidade de Lisboa
2017 Fortunato Frederico, presidente do Grupo Kyaia
2018 Cinco empresas resilientes

pub