Empresa do ano: Grupo Sousa, o empresário que veio da Madeira

O grupo nasceu no Funchal há mais de três décadas. Hoje é um grupo empresarial que tem o centro de decisão na Madeira, mas 70% dos negócios são feitos fora do arquipélago.
Empresa do ano: Grupo Sousa, o empresário que veio da Madeira
Luís Miguel Sousa diz que a reorganização do grupo madeirense é "permanente".
Hélder Santos
Filipe S. Fernandes 30 de maio de 2019 às 13:30
Luís Miguel Sousa chegou a ser conhecido como o "dono da Madeira", como lhe chamou a Exame em 2011, ou "senhor da Madeira", como refere o Público em 2014). Mas hoje, com 67 empresas, "o Grupo Sousa é composto por uma grande equipa de 810 pessoas, faturamos em termos consolidados 153 milhões de euros e 70% do nosso volume de negócios é gerado fora da Região Autónoma da Madeira", refere Luís Miguel Sousa, 58 anos.

O centro de gravidade está fora da Madeira, mas "o nosso centro de decisão ainda está no Funchal, tal como os serviços centrais de apoio às operações", explica. Adianta que um empresário, numa região insular periférica e de pequena dimensão, tem responsabilidades e atenções acrescidas "pelo impacto que temos, pela economia que geramos, pelos efeitos diretos e indiretos e pelos impostos que pagamos. Em especial, pelos nossos recursos humanos, onde somos cerca de 600 na Madeira, são muitas famílias".

O mar e as ilhas

"O nosso espaço preferencial de expansão são os arquipélagos da Macaronésia (Açores, Cabo Verde, Canárias e Madeira) pela afinidade natural", sublinha Luís Miguel Sousa e como base o portfólio de serviços como o transporte marítimo, as operações portuárias, a logística e a energia. Mas, como acrescentou, disponíveis para "analisar outros mercados onde, designadamente em parceria, possamos levar a cabo operações comercialmente viáveis e sustentáveis, sem abandonar o foco da rentabilidade e da precaução".

Este é o ponto de chegada de um percurso iniciado, em 1985, quando Luís Miguel Sousa constituiu uma agência de navegação no Funchal, a partir de um pequeno negócio do avô e quatro irmãos. Regressara ao Funchal depois de se ter licenciado em Gestão pelo ISLA em Lisboa, embora o seu primeiro destino como estudante tivesse sido o Porto e a sua faculdade de Medicina, estadia de durou apenas alguns dias.

Em 1989 ficou com a concessão da ligação do Funchal e Porto Santo, e aproveitou a crescente liberalização dos transportes e crescimento da logística para fazer da insularidade a força motriz da sua estratégia.

No ano seguinte comprou a Empresa de Navegação Madeirense (GS Lines) e criou o Operador Portuário da Madeira. Cinco anos depois Fundação da Logislink. Em 2010 deu-se a aquisição da Boxlines à Sonae e um novo navio porta-contentores Funchalense 5, ajustado às necessidades e exigências do mercado.

O salto para o exterior

"Neste salto para o exterior da Madeira", como refere Luís Miguel Sousa, salienta-se a construção dos terminais logísticos da Logislink na Madeira e em Lisboa, "parte integrante de um conjunto de serviços door to door, maioritariamente assegurado com meios próprios, conferindo uma elevada qualidade, robustez e segurança às operações diariamente asseguradas com os Açores e a Madeira, que pretendemos replicar noutras geografias". A que se juntam outras empresas de logística e a gestão, em parceria com o Grupo ETE, do TSA, operador portuário de carga contentorizada e geral no Terminal Multipurpose de Lisboa.

Um dos negócios sublinhados por Luís Miguel Sousa é a Lisbon Cruise Port, terminal de passageiros de cruzeiros, em que o Grupo Sousa, com 30%, está em parceria com a Global Ports Holding (GPH) (40%), Royal Caribbean Cruises (20%) e Creuers del Port de Barcelona (10%).

Sempre em movimento

"A reorganização do Grupo é permanente", afirma Luís Miguel Sousa. O grupo Sousa opera ainda na área da energia e do turismo. Detém a Gáslink, que gere o "gasoduto virtual de gás natural" entre Sines e o Terminal da Empresa de Eletricidade da Madeira nos Socorridos/Madeira, em operação desde 2014 Detém ainda a Windmad na produção de energia renovável eólica.

No turismo tem agências de viagens, hotéis em Porto Santo (Torre Praia, Luamar, Praia Dourada) e os restaurantes (Salinas, Pizza N'Areia, O Corsário e Ponta da Calheta).

As holdings Sousapar e Lumiso, detidas por Luís Miguel Sousa, controlam 80% do Grupo Sousa, estando o restante repartido pela Beta Sol (10%), do irmão Ricardo Sousa, e pela Rusamar, (10%), pertencente ao amigo, Rui São Marcos, que até 2000 "desempenharam funções importantes no Grupo, no seu desenvolvimento inicial".

No top 100 dos maiores armadores do mundo da Alphaliner, o HGrupo Sousa ocupa o 87º lugar no ranking dos armadores com maior capacidade de transporte marítimo de contentores, com uma frota de 9 navios (próprios e afretados), 8 porta contentores e 1 ferry, com uma capacidade total aproximadamente de 7.100 TEU, o que faz do grupo o maior armador nacional.

Negócios-chave

1985 - Luís Miguel Sousa constitui um agente de navegação na Madeira.
1989 - Criação da Porto Santo Line.
1990 - Aquisição da Empresa de Navegação Madeirense. Criação do Operador Portuário da Madeira.
2005 - Fundação da Logislink (Terminal de Logística).
2010 - Aquisição Boxlines à Sonae (mercado dos Açores).
2014 - Constituição da Gáslink, pipeline virtual de LNG.
2015 - LCP - Lisbon Cruise Ports, terminal de passageiros de cruzeiros de Lisboa em conjunto com a Global Ports Holding (GPH), Royal Caribbean Cruises Ltd e Creuers del Port de Barcelona. Compra da Portline Containers ao Grupo Stanley Ho (linhas internacionais).
2019 - Aquisição em curso da operação de Rebocadores da Svitzer/Grupo Maersk em Portugal (Lisboa, Setúbal e Sines) que será uma nova área de atividade. 




Marketing Automation certified by E-GOI