Outros sites Cofina
Notícia

A marca que se tornou empresa

Nasceu no negócio de import-export de produtos agrícolas, tornou-se produtora e distribuidora de azeite. Hoje a empresa é detida em 55% pela Unilever e 45% pela Monterroio.

Filipe S. Fernandes 25 de Outubro de 2022 às 14:30
  • Partilhar artigo
  • ...
Em 1919 Victor Guedes registou a marca de azeite Gallo. Segundo a lenda, um dia, Victor Guedes, ao abrir a janela, ouviu um galo cantar, foi um momento eureka, e nasceu a marca Gallo, com duplo éle devido à sua origem galega. Nas décadas seguintes a empresa Victor Guedes cresceu, sobretudo para o mercado brasileiro. Mas na história oficial são referidas ligações de Victor Guedes à produção de azeite que remontam a 1860 em Abrantes, num estabelecimento pertencente à União Industrial, que se dedicava também à comercialização e exportação de produtos agrícolas como azeites, azeitonas em conserva, vinhos, castanhas, frutos secos.

Mas foi em 1938 que com a aquisição da União Industrial em Abrantes que a Victor Guedes ficou com uma zona fabril, armazéns para azeite, um lagar, uma extração de óleo de bagaço, uma refinaria de azeite, indústria de carnes e enchidos e uma saboaria. Neste local se preparavam os lotes de azeite que seguiam a granel para um armazém no Poço do Bispo onde eram embalados em latas para a exportação, tendo como grande mercado o Brasil. Este momento foi favorável porque, com a Guerra Civil em Espanha (1936-1939) diminuíram as exportações espanholas de azeite para as Américas.

Azeites, vinhos e sabões

Em 1948 a Victor Guedes & Cª era importadora e exportadora de azeites, vinhos, frutas verdes e secas, conservas, vinhos de Colares, da marca Viúva Gomes, e do vinho moscatel de Setúbal, Fernandes, com armazém na Rua dos Remolares, no Cais do Sodré, e refinação de azeites e fábrica de sabões em Abrantes.

A marca Gallo que tinha nascido vocacionada para um mercado externo, viria, em 1969, a fazer uma mudança de estratégia tendo definido como principal objetivo a penetração no mercado doméstico de azeite, onde até então só vendiam "Azeite Extra Virgem". Passaram a vender mais azeite, óleo embalado, sabão tradicional e de azeitonas de conserva e seguiu-se uma fase de forte expansão industrial, com importantes investimentos na abertura de novas instalações e na modernização das instalações existentes.

Depois de prolongadas negociações, a FIMA, joint-venture entre a Unilever e a Jerónimo, Martins adquiriu, a 10 de novembro de 1989, a Victor Guedes filho a empresa produtora de azeite. Depois foram desativadas as unidades de fabrico de sabão e, posteriormente, a de extração de óleo de sementes, focalizando-se a atividade na seleção, controlo da qualidade, loteamento e embalagem de azeite.

Em 3 de julho de 2009 foi criada a sociedade Gallo Worldwide, através da cisão da Unilever Jerónimo Martins, e é controlada em 55% pela anglo-holandesa e em 45% pelo grupo de distribuição português. Hoje a empresa é detida em 55% pela Unilever, através da Brook Bond South India States Limited, e 45% pela Monterroio, sub-holding da Sociedade Francisco Manuel dos Santos através da Monvendo Industries JMDB-Representação e Distribuição de Marcas.
Mais notícias