Exportadoras estão bem de saúde e recomendam-se

As empresas que vendem para fora gozam de uma saúde financeira mais robusta e a banca está preparada para apoiar bons projectos. Governo tem fundos de apoio ao investimento e exportação e está a preparar mais incentivos à inovação e à tecnologia.

Your browser doesn't support HTML5 video.

pub
André Cabrita-Mendes 17 de fevereiro de 2016 às 10:02

As empresas exportadoras gozam de uma saúde invejável. O diagnóstico foi feito pelo presidente executivo do Novo Banco que garante que a instituição continua focada em apoiar as empresas nacionais. Eduardo Stock da Cunha sublinhou assim a "importância das exportadoras para criar riqueza em Portugal", durante a cerimónia de entrega dos Prémios Exportação e Internacionalização, uma iniciativa conjunta do Novo Banco e do Jornal de Negócios.
No seu discurso, começou por destacar que apesar de apenas 6% das empresas nacionais venderem bens e serviços lá para fora, o seu peso no volume de negócios total no país alcança os 37%. Resumindo, "as exportadoras são menos, mas vendem mais. Têm menos pessoas, mas são mais eficientes, mais automatizadas. São maiores e têm melhores rácios de autonomia financeira".

A nossa estratégia está bem definida: passa pela capitalização das empresas e pelo apoio à inovação.  Manuel Caldeira Cabral Ministro da Economia
Olhando para o país, sublinhou que Portugal tem vindo a "prosseguir um caminho importante", estando actualmente entre os 40 países mais competitivos do mundo. Mas Stock da Cunha defendeu que o país deve ser mais ambicioso e almejar alcançar o top ten dos melhores. "Temos de ser cada vez mais competitivos, com empresas mais eficientes, e dispostas a lutar em mercados externos". E é precisamente no universo empresarial nacional que a instituição conta com uma alargada experiência de actuação, primeiro como BES, agora como Novo Banco. "Estamos orgulhosos por continuar a ser o banco de referência das empresas portuguesas", disse Stock da Cunha, apontando que a grande maioria do crédito concedido pela instituição tem como fim as empresas (70%).
"Sabemos comunicar com as empresas", afirmou o gestor, destacando a longa história do banco. No entanto, considera que a "tradição não chega e que é preciso inovar", sublinhando que o banco oferece também soluções às companhias para facilitar a gestão do seu negócio.
Estamos orgulhosos por continuar a ser o banco de referência das empresas portuguesas. Eduardo Stock da Cunha Presidente executivo do Novo Banco
Já o ministro da Economia começou o seu discurso por elogiar os empresários e as empresas portuguesas, destacando o crescimento verificado nas exportações nos últimos 10 anos. Depois, Manuel Caldeira Cabral começou a explicar a estratégia do Governo para apoiar as empresas. "A nossa estratégia está bem definida: passa pela capitalização das empresas e pelo apoio à inovação", afirmou perante uma plateia de gestores portugueses.
Abordou depois também a sua visão do papel que o Estado deve ter na economia. "Não queremos o Estado a fazer o papel das empresas, nem a dificultar a vida das empresas. Mas o Estado tem o seu papel na criação de infraestruturas tecnológicas de suporte às empresas, na regulação e estímulo à concorrência. Tem que estar presente e assumindo força e determinação".
Simplificar a vida das empresas é uma prioridade do Governo, pois só assim conseguimos melhor. Manuel Caldeira Cabral Ministro da Economia
O ministro destacou que "simplificar a vida das empresas é uma prioridade do Governo, pois só assim conseguimos melhor". Depois, apontou que o Executivo pretende apoiar a internacionalizaçáo das empresas, através de novas medidas de estímulo, mas também o apoio em feiras internacionais. Reservou umas palavras, para a capacitação de quadros qualificados nas pequenas e médias empresas, de forma a conseguirem integrar melhor os jovens licenciados.
O governante apontou que o trabalho do Ministério da Economia "é facilitar a vida das empresas e ajudar as empresas a irem mais longe", com o objectivo final a ser aumentar a inovação das companhias nacionais e também a que vendam cada vez mais lá para fora.
Lista dos vencedores Prémios exportação Grandes Empresas - Bens Transacionáveis
Vencedor: TMG
Grandes Empresas - Serviços
Vencedor: WE DO Technologies
PME - Bens Transacionáveis
Vencedor: Filkemp
Menção honrosa: Desicor
PME - Serviços
Vencedor: M N Ramos Ferreira
Exportação + Emprego
Vencedor: AMOB
Revelação
Vencedor: JETCLASS
Sector Estratégico
Vencedor: Casa Santos Lima
Menção honrosa: Manoel D. Poças Junior
Multinacional
Vencedor: ROCA
Prémios internacionalizaçãoGrandes Empresas
Vencedor: ASCENDUM
PME
Vencedor: DINEFER
Menção honrosa: Primavera
Revelação
Vencedor: ISQ
Prémio Especial do Júri
Vencedor: Grupo Pestana

pub