SLM: Peças de automóvel com vocação alemã

Hoje no mundo circulam mais de 90 milhões de veículos com peças feitas pelas empresas do Schmidt Light Metal Group.
SLM: Peças de automóvel com vocação alemã
Filipe Villas-Boas ostenta o prémio que distinguiu Schmidt Light Metal Group.
Nuno Fonseca
Filipe S. Fernandes 18 de dezembro de 2018 às 18:15

SLM - Menção Honrosa - Melhor Grande Empresa Exportadora Bens Transaccionáveis

O Schmidt Light Metal Group produz peças em alumínio, por fundição injectada, exclusivamente para a indústria automóvel. Como diz Filipe Villas Boas, administrador do Schmidt Light Metal Group, "99% da nossa produção é exportada, sendo residual o comercializado em território nacional. Este ano iremos produzir cerca de 6,3 milhões de peças, sendo que circulam hoje no mundo mais de 90 milhões de veículos com peças feitas na nossa organização".

A empresa nasceu, em 1989, pela mão de dois alemães, Hans Kupper e Ralf Schmidt, que conheciam a qualidade da produção de moldes e de peças para automóveis, e tendo por localização Oliveira de Azeméis, dada a sua tradição na área de injecção e moldes.

Em 2006, Hans Kupper vendeu a sua quota, e o capital passou a ser partilhado entre Ralf Schmidt, Marc Schmidt e Filipe Villas-Boas, pai do treinador de futebol André Villas-Boas. Foi esta saída que deu origem à renomeação de uma das empresas, a SLM, Fundição Injectada e a consequente criação do Schmidt Light Metal Group.

Mercado alemão

Esta origem viria a marcar as relações comerciais da empresa, que tem como principal destino das peças o mercado automóvel alemão e os seus construtores, que também têm fábricas na Áustria, Hungria, Eslováquia, Polónia e Bulgária. As peças são fornecidas para serem utilizadas no produto final que é o automóvel, por isso vendem tanto directamente a OEM (Original Equipment Manufacturer), por exemplo o grupo VW, que inclui a Audi, Seat, Skoda, Bentley, Porsche e Lamborghini, como indirectamente a Tier 1 (fornecedores directos das OEM).

Esta forte presença faz com que existam peças da empresa em quase todas as marcas de carros alemães. Um dos objectivos traçados na estratégia de crescimento para o futuro está a entrada no mercado automóvel britânico.

54
Milhões de euros
É a previsão para o volume de negócios em 2018.


A empresa já fez grandes investimentos em robotização e automatização. Por isso o grande foco, é o desenvolvimento e a reconversão das pessoas. "A evolução tecnológica tem uma velocidade exponencial, para a qual as pessoas não estão preparadas. A importância do factor humano num mundo de máquinas é um foco que não devemos perder de vista e saber que competências humanas são essenciais para o sucesso num mundo dominado por tecnologia", refere Filipe Villas Boas.

Cria soluções

O Schmidt Light Metal Group vai fechar o ano de 2018 com um volume de negócios de 54 milhões de euros, o que representa um aumento de 13,5% face ao ano anterior.

O grupo é composto por três empresas que se articulam para criar soluções integradas para os clientes. É uma fundição de ligas leves, como o alumínio, moldadas em moldes, que também fabricam, e são acabadas com maquinagem. Existe uma unidade central que é a Schmidt Light Metal, e depois duas especializadas, uma na fabricação de moldes, que a Autoconceptus, e outra na maquinagem.

Uma das particularidades na na indústria automóvel, é que o fornecedor de determinado componente, é o único fornecedor desse mesmo componente. o que gera uma relação de co-dependência entre o fornecedor e o cliente.

Esta tipo de relação levou a Schmidt Light Metal Group a investir nacapacidade de desenvolver uma solução para o cliente e não se ficar apenas pela produção da peça em fundição injectada. "A solução, de A a Z, de montante a jusante, até à entrega da peça, é pensada, desenhada e produzida por nós", refere Filipe Villas-Boas.





pub

Marketing Automation certified by E-GOI