Os novos consumidores e as novas tecnologias

Os novos clientes estão focados na simplicidade e no imediato, e tecnologias como o Blockchain vão permitir a formalização de contratos em poucos minutos e sem burocracias.
Os novos consumidores e as novas tecnologias
Eugénia Branco, responsável pelo departamento de comunicação e marketing da Prévoir-Vie, diz que o setor estará a olhar para o modelo P2P com alguma reserva.
Filipe S. Fernandes 11 de abril de 2019 às 12:15

"Para os millenials, focados na simplicidade e no imediato, as companhias de seguros 100% online podem ser atrativas, podendo ainda oferecer custos inferiores", concede Jesús Núñez, diretor de marketing e experiência da Liberty Seguros. Mas não deixa de acentuar que "o modelo de negócio das seguradoras se baseia no risco, e é quando os clientes mais precisam que nos diferenciamos a resolver problemas".

Para o gestor da Liberty Seguros, esta transformação gera uma espécie de novo diálogo entre consumidores e seguradoras. "Hoje, os clientes têm mais poder de decisão, sabem o que querem, como o querem e o momento em que o querem. Nós, seguradoras, temos de oferecer-lhe isso mesmo, através de uma escuta contínua e de uma resposta célere", sublinha Jesús Núñez.

Os novos consumidores reveem-se nas seguradoras peer-to-peer pela celeridade, simplicidade e custos reduzidos no processo de contratação do produto de seguro. Mas, Nuno Luís Sapateiro, associado coordenador da área de Seguros de PLMJ, acrescenta ainda que estes modelos se aproximam das "novas gerações ao serem associados ao conceito de justiça social, na medida em que os tomadores dos seguros têm a possibilidade de partilhar o montante dos prémios que não foi utilizado na regularização de sinistros ou doar esse montante para causas sociais que tenham selecionado".

A tentação blockchain

Na visão de Jesús Núñez, as "tecnologias e frameworks de blockchain vão mudar, e já começam a ser vistos os sinais, os modelos e processos de como as parcerias entre seguradoras-parceiros-seguradoras vão ser efetuadas". Refere ainda que o blockchain vai permitir agilizar muitos dos processos internos e externos às seguradoras, trazendo maior valor ao cliente através de processos simples, rápidos e, na sua maioria, previamente acordados.

Para Eugénia Branco, responsável pelo departamento de comunicação e marketing da Prévoir-Vie, este tipo de tecnologias, como o Blockchain, aumentaram a proteção dos consumidores e as seguradoras, pois "permitirão prevenir as fraudes nos seguros, melhorar o tratamento dos sinistros, ajudar na automatização e na agilização dos processos".

"As tecnologias como o Blockchain podem ter um papel essencial na rentabilidade das seguradoras", assinala Nuno Luís Sapateiro. Vão propiciar soluções inovadoras, por exemplo, no processamento e liquidação de sinistros, deteção de situações de fraude, medição de riscos e emissão de cotações.

Além disso, "o recurso a tecnologias como o Blockchain também irá viabilizar a implementação dos smart contracts, permitindo que as seguradoras formalizem, em poucos minutos e sem burocracias, vários contratos de seguro e poderão refletir essa redução de custos nos prémios aplicados", conclui o associado coordenador da área de Seguros da PLMJ, Nuno Luís Sapateiro.




Marketing Automation certified by E-GOI