Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Alexandre Real 07 de Junho de 2015 às 20:00

Líder! Cuidado com as "wise crowds"…

Quando abordamos o tema da liderança, temos a tendência para centrarmo-nos no líder, nas suas características e qualidades, mas apesar destas considerações a liderança é e sempre foi um processo e não uma atribuição formal.

  • Partilhar artigo
  • 3
  • ...

Muitas vezes ouvimos dizer erradamente, quando alguém se refere a um presidente de uma empresa ou de um partido "o líder da empresa X" ou o "líder do partido X". Podem muito bem serem presidentes o que não significa que sejam líderes.

 

Mas que tipo de processo é a liderança? É um processo de influência.

 

Já assisti a verdadeiras derrocadas pessoais e profissionais em que determinada pessoa tinha um cargo e que por vicissitudes da vida deixou de o ocupar e é com espanto e de forma deprimida que olham à volta e todos que até ali o supostamente o seguiam desapareceram.

 

Outros há que após a passagem por determinados cargos ou mesmo sem cargos formais são verdadeiros líderes, tendo sempre consigo uma legião de seguidores, o que determina que a liderança não é uma atribuição, mas sim um processo de influência.

 

Líder não é aquele que tem um determinado cargo, mas sim, aquele que tem seguidores, há até quem chame a este processo a "seguidança".

 

E como podemos influenciar os outros? Existem muitas formas mas uma é universal, liderar pelo exemplo.

 

Com a revolução tecnológica emergem o que se designa de "wise crowds" ou multidões sábias, hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais bem  informadas e neste sentido as organizações estão mais inteligente, cada vez mais o processo de liderança é muito mais difícil. Facilmente hodiernamente os colaboradores fundamentam decisões contrárias às do líder e infelizmente muitos líderes ainda não se adaptaram a esta nova realidade. O líder não tem de saber tudo, mas tem de ter competências sistémicas e comportamentais para aceitar as diferentes opiniões e até aceitar que por vezes pode não ter razão ou que pode ter mesmo errado.

 

Não há forma de fugirmos a esta nova forma de inteligência coletiva o que sem dúvida valoriza os verdadeiros líderes e serve de fiscalizador para os falsos líderes…

 

Gestor e professor universitário

 

Artigo escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias