O desafio dos juízes alemães aos políticos europeus

07.05.2020

Ao dar um tiro no “whatever it takes” do BCE, a sentença do Tribunal Constitucional alemão é um desafio para os governantes europeus deixarem de usar o biombo do BCE como meio de fuga à sua responsabilidade de completar a união económica e monetária. O risco daqui para a frente será maior.

A quarentena foi a opção política certa

29.04.2020

A opção do Governo em Março e Abril não deve ser discutida só nos planos da ciência e da economia – no plano moral, e político, confinar foi a decisão correcta. Daqui para a frente as questões morais serão mais difíceis – e as respostas mais desconfortáveis.

As garantias de Costa e os equívocos sobre austeridade

23.04.2020

Austeridade não é disciplina orçamental, nem é o mesmo que faz o sector privado. É uma política pública, que o primeiro-ministro de um país pequeno, sobreendividado e periférico não está em condições de travar apenas pela força do seu discurso ou da sua vontade.

Já dávamos muito à Google - não damos em pandemia?

16.04.2020

Sociedades que aceitam passivamente dar informação sobre o que pensam, o que lêem, onde andam, o que compram, o que comem e que família têm resistem a partilhar dados sobre com quem se cruzam para combater uma pandemia. Aldous Huxley está a ganhar a George Orwell.

Quem pede milagres à banca pede-os ao Estado

08.04.2020

A banca hoje está a emprestar para tesouraria e a adiar compromissos. Amanhã estaremos a falar de reestruturações e de perdas. Há aspectos a melhorar nas medidas de emergência em vigor? Sim. Mas quem pede milagres aos bancos, invocando dívidas morais, está na verdade a pedi-los ao erário público.

O que vamos fazer quando o vírus voltar?

03.04.2020

O tempo que estamos a comprar hoje, com enorme custo, tem de ser exemplarmente aproveitado para enfrentarmos os próximos ciclos de uma doença que não vai desaparecer tão cedo - e que trará escolhas difíceis.

O vírus, o euro e a Geringonça 2.0.

27.03.2020

O reforço inédito do papel do Estado, e o consequente endividamento, vão mexer profundamente na política portuguesa e europeia. Por cá, o vírus deverá vitimar o consenso do PS à esquerda - na zona euro será um teste difícil à coesão Norte/Sul.

Depois do primeiro excedente pode vir o maior défice

19.03.2020

Numa economia paralisada a resposta imediata é um resgate público a empresas e famílias, com dinheiro que não será recuperado. Depois virá o estímulo. A conta não é suportável sem apoio europeu. Os sinais são bons, mas a política pós-coronavírus é difícil de prever.

Ver Mais