Camilo Lourenço
Camilo Lourenço 22 de março de 2013 às 00:01

Salários sobem em recessão? Hummm…!!!

A OCDE diz que as remunerações subiram em Portugal 0,7% no último trimestre do ano passado. Como no mesmo período os salários aumentaram 0,2% na zona Euro e 0,3% nos países que fazem parte daquela organização, a conclusão é inevitável: os salários em Portugal estão a crescer acima do que acontece nos nossos concorrentes.

Mais: a OCDE diz ainda que a subida da produtividade em Portugal, no período em causa, também abrandou. Conclusão: os custos unitários do trabalho (CUT) subiram 0,6%, acima do que aconteceu nos outros países da zona Euro (no 1.º trimestre os CUT desceram 4,5%, no 2.º aumentaram 1,5%, no 3.º caíram 0,2% e no 4.º trimestre subiram 0,6%). Com destaque para os nossos vizinhos espanhóis, onde os CUT baixaram 0,7% no 1.º trimestre, caíram 1,4% no 2.º, voltaram a cair (0,8%) no 3.º e sofreram uma quebra de 3,8% no 4º trimestre de 2012.

 

Como os custos unitários de trabalho levam em conta a relação entre salário e produtividade, os números da OCDE mostram que Portugal está a perder a batalha da competitividade: os salários crescem acima da produtividade, sem levar em conta o que sucede nos nossos parceiros.

Mas há outra questão, ainda mais intrigante, tendo em conta a crise que vivemos em Portugal: como é que uma economia em recessão profunda regista aumentos salariais acima da produtividade? Não encontro outra resposta senão a falta de concorrência interna. Por outras palavras, este indicador mostra que a economia portuguesa continua dominada pelos sectores não transaccionáveis (por definição protegidos da concorrência). Não era isto que o Governo e a Troika queriam mudar com as reformas estruturais? Isto não vai correr bem…

 

camilolourenco@gmail.com

pub

Marketing Automation certified by E-GOI