Susana Rodas
Susana Rodas 28 de setembro de 2018 às 20:00

Allianz CUP, o modelo de negócio, por trás do modelo competitivo

O que a Liga Portugal fez em termos financeiros e retorno mediático pode e deve ser medido através de números concretos.

Este é um bom exemplo de centralização dos direitos televisivos e comerciais, sobre a alçada de gestão direta da Liga Portugal. A única competição que tem estes moldes em Portugal. O que a Liga Portugal fez em termos financeiros e retorno mediático pode e deve ser medido através de números concretos.

 

Por onde se começou a trabalhar? Pelo produto, através da reformulação do modelo competitivo e a criação de uma Final Four – uma semana de festa dedicada ao futebol, ao desporto e ao município onde se integra.

 

Não podemos ignorar os números – cerca de 100.000 pessoas, que passaram pela Fan Zone de Braga, 52.273 espectadores no estádio, e um evento que passou a ser um dos líderes, no que concerne ao retorno mediático de eventos a nível nacional, com 95 milhões de "advertising value equivalency" e 4 milhões de impressões resultantes apenas da atividade de promoção e comunicação da Liga Portugal durante uma semana.

 

Uma renovação de parceria que gerou maior retorno para o futebol profissional, maior visibilidade para as sociedades desportivas e fez renascer a paixão dos adeptos por esta competição.

 

Este é assim um modelo de exceção de retorno para as marcas que se juntam à Liga Portugal, potenciando, além da sua visibilidade, as ativações e o "engagement" que podem realizar junto das suas audiências, como a ligação à comunidade durante uma semana única de festa. A próxima está já marcada de dia 19 a 26 de janeiro, em Braga.

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

 

Diretora Executiva de Marketing da Liga Portugal
pub

Marketing Automation certified by E-GOI