Joaquim Aguiar
Joaquim Aguiar 24 de setembro de 2018 às 20:37

O método estrábico  

A terapêutica de Salvini implica o agravamento dos sintomas da doença até que outros métodos mais radicais venham a ser usados: a expulsão da União Europeia ou o fim da União Europeia.

A FRASE...

 

"A ousadia da execução orçamental de Julho deveu-se este ano à imolação das empresas públicas e em especial as dos transportes e infraestruturas."

 

João Duque, Expresso, 1 de Setembro de 2018

 

A ANÁLISE...

 

Há diversos métodos de usar um Orçamento de Estado para atingir objectivos políticos de modo indirecto, sem ter de explicitar o que realmente se pretende, mas deixando que a força dos factos, que deliberadamente se criaram, torne inevitável a política única que nunca se anunciou.

 

A técnica de Trump consiste em criar a insustentabilidade orçamental e do valor da dívida pública para criar as condições que obriguem a reformular as políticas públicas sem ter de recorrer à justificação dessas reformas em processos de debate aberto na sociedade, sobretudo quando a contracção da despesa com as políticas sociais não encontraria apoio suficiente no eleitorado. O nacionalismo proteccionista e a rejeição dos acordos internacionais que limitam a liberdade de decisão dos dirigentes dos Estados Unidos são os disfarces de que se servem para encobrir os seus objectivos reais: reformular e reduzir o âmbito e o custo das políticas sociais, ao mesmo tempo que escondem a perda de competitividade da economia americana que aparece nos indicadores internacionais do mercado mundial.

 

A técnica de Salvini, o nacional populista que comanda a política italiana, consiste em afirmar a defesa dos interesses dos italianos contra as imposições de limites e constrangimentos à despesa pública que são determinados pelas regras de participação no sistema de integração europeia. O problema com este método está no facto de os interesses dos italianos só poderem ser defendidos no quadro dos recursos que lhes são disponibilizados pelo sistema de integração europeia, pelo que a terapêutica de Salvini implica o agravamento dos sintomas da doença até que outros métodos mais radicais venham a ser usados: a expulsão da União Europeia ou o fim da União Europeia - duas cirurgias por amputação, que deixariam tudo pior do que estava. 

 

Ainda há a técnica do estrábico: olhar para um lado, mas atirar para o outro. Será tudo uma questão de palavras: deixa de haver austeridade, mas continua a haver restrições à despesa. Muda-se tudo para ficar tudo na mesma. Mas perde-se a responsabilidade democrática.  

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

Marketing Automation certified by E-GOI