Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião

[506.] Audi, Mercedes Benz

Depois de alguns meses de pousio, a publicidade de automóveis regressa para animar os media e a testosterona que se agita nos machos com a chegada da Primavera. Não havia o anúncio do Audi A1 de dizer em letras maiúsculas garrafais: "É AGORA!" É agora mesmo que este e outros anúncios chegam.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...

"Está na hora de ter um Audi", diz o anúncio de "condições de financiamento extraordinárias" para a compra do modelo A1. O carro, vermelho vivo sobre uma foto a preto e branco, acelera paixões. Outro anúncio da marca, este do Audi A6, surpreende pela magnífica frase de entrada: "Audi A6. Escolhe-se num segundo." Na foto a preto e branco sobre duas páginas deste jornal, o carro avança com grande virilidade, num plano quase contrapicado, ao nível do asfalto. A cidade, do lado esquerdo, treme, como que tremendo com a vibração que o carro projecta na paisagem. O carro avança da direita para a esquerda, quer dizer, vem do futuro e entra no presente do observador.

A frase "Escolhe-se num segundo" invoca a velocidade do automóvel, "visível" na fotografia, sugere o tempo que se demora a ver a fotografia — leitor, por favor, não vire a página, é só um segundo —, mas principalmente convida o observador ao impulso de compra, que está expresso de forma tão clara quanto é possível: é num segundo que se "escolhe", que se "decide num clique", isto é, que se compra. Um segundo quer dizer a vontade do publicitário e do anunciante em que, para o observador, a primeira impressão seja a que conta, que sinta amor à primeira vista, etc.

Da frase brilhante do Audi A6, passamos ao adjectivo brilhante para o Mercedes CLA: "Indomável". Correspondendo às linhas dinâmicas do carro, o adjectivo invoca a vida selvagem, os predadores cheios de testosterona primaveril. O filme de três minutos a partir do qual se extraíram os anúncios de TV compara o carro, e o seu condutor, ao lobo selvagem que acompanha a viagem da máquina por estradas rurais e urbanas.

O lobo animal aparece no início do filme, aproximando-se do Mercedes parado. Cheira-o, como um macho selvagem cheira outro macho. Só há lugar para um macho-alfa. O lobo animal sente inveja do lobo automóvel. Acompanha-lo-á ao longo da viagem de três minutos. São dois lobos, ou três, se contarmos o condutor.

Esta comparação mesclada de metáfora não é original. Vários anúncios de automóveis têm invocado os grandes mamíferos selvagens e predadores, para obterem a identificação dos jovens ou menos jovens machos humanos que os observam na publicidade. Num anúncio com alguns anos, a parte da frente de um BMW era comparada a um felino nocturno, que ataca de noite, como os machos no Bairro Alto.

Na conseguida campanha de Mercedes Benz, o referido plano inicial mostra frente a frente o lobo e o carro parado, reconhecendo-se, identificando-se. O "focinho" do carro fica assemelhado ao focinho do lobo, de tacha arreganhada, mostrando o dente antes de conquistar a estrada.

O filme poderia evitar mostrar o condutor do carro, mas mostra o jovem adulto, o macho-alfa, o lobo da estrada. É um homem novo, como os que apreciam a série televisiva Game of Thrones, onde também há lobos selvagens meio domesticados e uma música do género série "medieval" que inspira a deste reclame.

Se um dos anúncios da campanha diz "indomável", quer dizer, o dono do carro será indomável, pois com o seu Mercedes dominará a paisagem natural e social, outro diz: "Lobo em pele de lobo". Lobo em pele de lobo é o macho que compra o carro-lobo, que, como se vê no filme, dominará o terreno do lobo-animal, macho-alfa vencido pela máquina e seu proprietário. Quem não quer ser lobo não lhe veste a pele? Pois aqui o macho observador do anúncio é convidado a sentir-se lobo e a vestir-lhe a pele. Grrr... Grrr... Vrum! Vrum!

ect@netcabo.pt

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias