Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Fernando Sobral fsobral@negocios.pt 11 de Julho de 2006 às 13:59

A inovação do azeite

Portugal é um país que vive entre o excesso de inovação tecnológica e a falta de azeite. Produzimos inovações que deixam os meus vizinhos, que nunca utilizaram a Internet indiferentes e importamos o sumo da oliveira. Tudo está prestes a mudar.

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
José Sócrates, num daqueles momentos em que parece um guerreiro Jedi, anunciou a boa nova aos portugueses: o correio vai poder ser visto através de uma caixa postal da Internet. A pátria suspirou de alívio. Quem já utiliza as novas tecnologias, tem conta gratuita de e-mail no Yahoo ou no Google. A grandiosa reforma de Sócrates que, como é hábito, nos aproxima da periferia de Silicon Valley, assemelha-se a uma revolução controlada: prometem-se carroças a quem já tem automóvel. Ao mesmo tempo, quem nunca utilizou a Internet, e acredita nas belas e velhas cartas, vai usar tanto a inovação de Sócrates como um iPod. Enquanto o primeiro-ministro avança destemido nos corredores virtuais, os espanhóis compram as terras alentejanas para produzir essa coisa que não é tecnológica e que Sócrates deve olhar com desconfiança: o azeite. Portugal, com a produção espanhola, vai tornar-se exportador em vez de importador deste produto da gastronomia mediterrânica. Nem ele, nem o seu escudeiro Pinho, vão estar ali para inaugurar um lagar onde trabalharão algumas dezenas de pessoas que assim não desertificarão o interior. Entre a Internet e o azeite, Sócrates prefere sardinhas virtuais. Há quem, com sabedoria, prefira carapaus com o precioso líquido da azeitona.
Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias