Fernando  Sobral
Fernando Sobral 11 de junho de 2018 às 19:29

O Céu e o Inferno do G7 

Donald Trump, que governa através de tweets, acredita como uma fé que governa o Céu e que, à sua volta, só há pecadores. Que lhe devem o tributo e que se devem colocar de joelhos. Não distingue aliados de inimigos.

O conselheiro de Donald Trump para o Comércio, o assustador Peter Navarro, foi à Fox News dizer que Justin Trudeau, o primeiro-ministro do Canadá, merece "um lugar especial no Inferno". Para Donald Tusk, o presidente do Conselho Europeu, Trudeau, pelo contrário, merece "um lugar especial no Céu". Entre o Céu e a Terra dissolve-se a aliança dos Estados Unidos com os seus tradicionais aliados. Donald Trump, que governa através de tweets, acredita como uma fé que governa o Céu e que, à sua volta, só há pecadores. Que lhe devem o tributo e que se devem colocar de joelhos. Não distingue aliados de inimigos. Nem os negócios da diplomacia. Só a sua verdade conta. Por isso, no G7, afrontou os seus mais preciosos aliados, julgando que num mundo multipolar os EUA podem, querem e mandam. Perante esta racionalidade Xi Jinping e Vladimir Putin riem. Secretamente acham que Trump é o Darth Vader da democracia americana. E, na verdade, o cangalheiro da liderança americana no mundo. Trump vive a pensar que o mundo se vê da Trump Tower e que todos são seus empregados. Um dia perceberá que apenas é um peão de outros interesses superiores.

 

A forma como Trump destratou os seus aliados do G7 mostra que a Europa, o Canadá ou o Japão não podem acreditar em nada do que ele diga. Ele simboliza aquilo que, de forma certeira, Mario Vargas Llosa dizia este fim-de-semana no ABC: "A democracia baseia-se em que a verdade prevaleça sobre a mentira e se a fronteira entre ambas é cada vez mais obscura e difusa então é a sociedade democrática que está ameaçada pela entronização das famosas pós-verdades." Os tweets de Trump são uma ameaça à democracia e a sua forma de pretensamente governar o mundo foi retirada da Terra Média. Não que Trump leia. Mesmo que seja Tolkien. Trump é um retrocesso civilizacional. E a Europa tem de se preparar para se defender desta forma de olhar para o mundo. Trump não está só. É apenas o Exterminador Implacável que foi enviado para a frente de combate. 

 

Grande repórter

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

O que está ameçado é o establishment, não a democracia. Aliás, democracia é um país poder tomas as suas medidas, de forma liberal, e porque é independente. O que vejo, é um "choro" coletivo, como se tivessem ameaçado retirar a Playstation a uma criança de 10 anos. Hajam mais homens com atitude!

pub