Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião

O drama de José Sócrates

Há quem tenha uma ideia da política como uma luta de trincheiras. A ideia é absurda, mas continua a fazer escola na esquerda em geral e no PS em particular.

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Há quem tenha uma ideia da política como uma luta de trincheiras. Transposta para hoje, em Portugal, teríamos a Joana D’Arc da esquerda, Ana Gomes, a lutar contra as Mata-Haris da direita, as «santanetes».

A ideia é absurda, mas continua a fazer escola na esquerda em geral e no PS em particular. A esquerda refugia-se nesse princípio oco que é a «ética na política» para vestir a sua nudez de ideias. Acredita que, de derrota em derrota, o povo há-de ter pena e de lhe oferecer a redenção.

É esse o drama de José Sócrates.

Quando se assiste, no PS, à aliança entre a chamada esquerda do partido e o sector que usa t-shirts de Guterres, Sócrates só tem de tentar evitar o cerco. Antes da sua entronização, Sócrates está a assistir à mais temível aliança de «compagnons de route» do PS: os sectores de que Ana Gomes e Maria de Belém são símbolos.

É como ver «hippies» e senhoras victorianas de braço dado a defender a Barbie como a «topmodel» da esquerda. Com um PS assim, Santana Lopes escusa de enviar as «santanetes» para as trincheiras.

Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias