Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião

Pavlov e o PSD

Um dos grandes mistérios da "rentrée" promete ser divulgado nos próximos dias. Não é o policial perdido de Agatha Christie. É o programa eleitoral do PSD. Não será uma obra de ficção científica nem um tratado de economia. Quanto muito poderá ser um...

  • Assine já 1€/1 mês
  • 20
  • ...
Um dos grandes mistérios da "rentrée" promete ser divulgado nos próximos dias. Não é o policial perdido de Agatha Christie. É o programa eleitoral do PSD. Não será uma obra de ficção científica nem um tratado de economia. Quanto muito poderá ser um exercício académico em que se sabe quem é o paciente, percebe-se qual é a doença mas o médico refugia-se no sigilo profissional para não dizer o que fará. Talvez porque também não saiba o que fazer. Segundo António Borges esse programa, ou essa folha A4, será "deliberadamente prudente". O que descansa o comum eleitor. Menos palavras, menores hipóteses de disparate. É certo que os portugueses gostam de um bom mistério. Por isso deliciam-se com telenovelas. Gostam do mistério Freeport e do mistério António Preto. Mas gostam de saber o final dos mistérios. E é isso que o PSD quer sonegar aos portugueses. Cria-se a expectativa, coloca-se os portugueses a salivar e depois não se dá o Friskies. O PSD quer que os portugueses votem por reflexo condicionado. O PSD fez do complexo de Pavlov o seu programa. Quer que os portugueses votem em si porque promete desvendar o mistério do seu programa depois de cumprir o mandato. Se ganhar as eleições, claro. O PSD confunde promessas eleitorais com um programa estratégico para o País. São coisas díspares. O problema é que, pelos vistos, o PSD não tem promessas nem visão estratégica. Não querendo prometer nada, o PSD não quer ser responsabilizado, depois, pelas suas boas ou más decisões. Mas assim, para que é que quer ser Governo?
Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias