Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
João Quadros - Argumentista 27 de Julho de 2012 às 12:55

100 mais poderosos de Portugal no futuro

Temos connosco o Engenheiro Astolfo Marques, presidente da empresa Sonhoplastex, que foi considerado, por alguém que escreve uma vez por semana para o nosso jornal, a 100º personalidade mais poderosa do Portugal futuro.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
JNEGÓCIOS: Temos connosco o Engenheiro Astolfo Marques, presidente da empresa Sonhoplastex, que foi considerado, por alguém que escreve uma vez por semana para o nosso jornal, a 100º personalidade mais poderosa do Portugal futuro. Senhor Engenheiro, explique aos nossos leitores qual a área de negócio da Sonhoplastex.
Eng. Astolfo Marques: Nós, na Sonhoplastex, achamos que o serviço de sonhos disponível em Portugal é péssimo. Os sonhos em Portugal estão ao nível da TDT. O que nós vimos propor é um serviço de envio de sonhos de qualidade, via cabo, ao cliente.

JNEG: Sonhos via cabo. É uma grande inovação.
Eng.AE: O nosso serviço garante uma melhoria substancial na qualidade da imagem e som dos sonhos. Por incrível que pareça, em pleno século XXI, em Portugal ainda há muita gente que sonha a preto e branco. É chocante. Em países da União Europeia, como a Bélgica e Holanda, e outros não europeus, como a Grécia, já ninguém sonha a preto e branco. E depois há a diversidade da oferta. Ainda no outro dia, um amigo meu contava-me…

JNEG: … era um amigo a quem devia dinheiro? Está muito em voga usar exemplos com amigos a que devemos dinheiro.
Eng.AE: Não. Como eu estava a dizer, este amigo estava a ter um pesadelo horrível e acordou em sobressalto e depois foi dormir e o pesadelo continuou. Ora, isto não há direito. O mínimo era haver a possibilidade de uma pessoa poder escolher se continua a ver o que estava a ver ou se pode optar por outra coisa.

JNEG: E é aí que entra a Sonhoplastex…
Eng.AE: É mais à frente. Veja, outro exemplo - os sonhos húmidos. Os sonhos húmidos em Portugal normalmente acabam antes de chegar à cena final, o que, do ponto de vista do espectador, é frustrante. E porque é que neste tipo de sonhos a maioria das pessoas que interage connosco são completos estranhos? Sei que podem dizer que não há dinheiro e têm que recorrer a figurantes, mas não faz sentido. Há que investir em sonhos húmidos com gente que as pessoas conhecem.

JNEG: Corrija-me, se estiver errado, mas parece-me que as pessoas em Portugal não têm muito o hábito de sonhar. Os portugueses são um bocado preguiçosos e, normalmente, quando chegam à cama querem é ir dormir.
Eng.AE: Tem toda a razão. Mas a verdade é que os conteúdos dos sonhos também não são apelativos. Há falta de conteúdos. No nosso país ainda há muita gente a sonhar que está a cair, ou que chega atrasada a um exame, ou perde um sapato. Ora, a queda já não usa desde os tempos do sonhos mudos, e o chegar atrasado ou chumbar num exame é o tipo de sonho que já só é usado por ex-alunos da Lusófona e em alguns países da América Latina. Em Portugal, os sonhos são tão fracos que, de manhã, a maioria das pessoas não se lembra do que sonhou.

JNEG: E a Sonhoplastex propõe um serviço de sonhos de qualidade aos portugueses, segundo sei, de forma totalmente gratuita entre as quatro e cinco da manhã?
Eng.AE: Nós temos para oferecer um vasto leque de sonhos à escolha. E a garantia do horário nobre dos sonhos, totalmente gratuito. Apenas, como contrapartida, cobramos a água, a electricidade e o gás consumido nos sonhos. E o álcool é à parte.

JNEG: Desejamos boa sorte para si e para a sua empresa. Para a semana, teremos connosco o 99º mais poderoso de Portugal no futuro. O Doutor Mendes Respiga, administrador da farmacêutica portuguesa - Heitor - e inventor das crianças anti-mosquito e da bomba de asma para canhões.





Londres 2012

1. Nos Jogos Olímpicos da Grécia antiga os atletas corriam todos nus. Se fosse assim na nossa época, a Rosa Mota bem podia ter ganho a medalha de ouro na maratona de Seul que eu garanto-vos que não ficava a ver.

2. Como é que querem medalhas se os nossos atletas olímpicos nem dinheiro
para o "doping" têm? O Fernando Mamede, se tomasse "doping", a única coisa que lhe acontecia era aumentarem-lhe exponencialmente as dores de burro.

3. Sou contra o uso de "doping" nos Jogos Olímpicos, mas só durante as cerimónias de inauguração, senão ninguém consegue ficar acordado para ver aquilo até ao fim.

4. O treinador da selecção masculina de natação da Nova Zelândia foi demitido depois do Comité Olímpico neozelandês ter descoberto que ele punha um crocodilo
na piscina. O sistema era fácil - as três primeiras atletas iam aos jogos olímpicos, as três últimas aos paralímpicos.

5. Se a tocha olímpica tem toda essa importância e solenidade, como é que pode ser transportada por indivíduos de fato de treino como se fosse uma pizza?



Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias