João Quadros
João Quadros 11 de setembro de 2015 às 10:04

O Pedro e o lobo

Pronto, lá passou o tal "debate decisivo" que a nossa comunicação social andou a apregoar com sondagens e discurso de tudo ou nada.

Pronto, lá passou o tal "debate decisivo" que a nossa comunicação social andou a apregoar com sondagens e discurso de tudo ou nada.

Recapitulemos. Como o debate era, pela primeira vez, transmitido em simultâneo nas três generalistas, para a maioria dos portugueses, o frente-a-frente Passos-Costa era o chamado "empata novelas". A frase mais ouvida nos lares portugueses foi: "Vê lá o que é que está a dar no outro......Fo...!"

Eram 20h10 e todos estavam tensos e prontos para o duelo, apesar do receio pelo facto de existir a possibilidade de Sócrates sair a correr pela porta de casa, de fato de treino, e pisgar-se a correr pela rua, só para atrapalhar o debate.

Eram 20h25, o debate ia começar, Passos tinha pedido água muito gelada, talvez com a esperança de ficar sem voz e fazer só meio debate. O meu primeiro reparo, em termos de transmissão televisiva, ia para a janela com a senhora da língua gestual. Acho que não devia estar lá. Tudo bem que o Passos e o Costa nos enganem, agora, enganar surdos-mudos! Poupem as pessoas.

Costa vinha com uma cor natural e Passos com o tom de louro cinzento guerra, que costuma usar quando quer parecer sério. O líder do PS arrancou melhor perante um PM adormecido. Já António Costa tinha vendido três gelados, ainda Passos estava a montar a barraca dos cachorros. Passos tentava colar Costa ao Syriza, parecia que vinha preparado para o debate com a Catarina Martins ou que, sem querer, tinha trazido o dossiê do parceiro de coligação. A primeira parte acabava com Passos em "off" a dizer: "Já passou metad..."; lá se foi o primeiro "round". Se eu fosse piegas, começava a ter pena do Pedro.

A segunda foi um massacre. Costa largava a pele de cordeiro e vestia-se de lobo perante um Pedro com vontade de chamar os seguranças, porque aquela gente o estava a incomodar.

Passos rezava pelo fim daquilo e os últimos minutos do debate foram a parte mais insossa, muito por culpa dos jornalistas. Cada um tinha uma pergunta final, mas acabaram por fazer como o indivíduo que tinha um último desejo para pedir, antes de ser fuzilado, e desejou saber que horas são. Judite perguntou se Costa ia visitar Sócrates a casa, o que, como sabemos, é um tema crucial em termos europeus e assunto incontornável quando se trata de falar de desemprego.

Se quiserem um resumo do debate, podemos dizer que Costa parecia aquele gordo que andámos meses a insultar, e a gozar - na escola - até que, finalmente, se levanta da carteira e dá-nos uma sova.

A comunicação social ficou em pânico. Já ninguém esperava que Costa saísse da fisioterapia e o discurso estava montado. Na SIC Notícias, de imediato Henrique Monteiro e Zé Gomes Pereira corriam a salvar o que ardia. Na TVI24, Relvas analisava coisas (qual terá sido a lógica que levou à escolha de Relvas para avaliar um debate? Foi uma das três cadeiras que ele fez?). Em comum tinham a táctica de desvalorizar o debate para desvalorizar a derrota de Passos. Não havia vencedores porque o confronto fora chocho e pouco informativo. Os mesmos que, antes do debate, garantiam que estávamos numa final da taça, agora, que terminara com a derrota de Passos, asseguravam-nos que tinha sido a feijões.

Percebe-se agora porque Passos queria fugir dos debates como da peste. Há quem diga, perante a surpresa do resultado do debate: "Mas o Passos até é bom na Assembleia" - Grande feito. Na AR, o PM está com a matilha, tem a Sininho a apitar e, acima de tudo, o Ferro Rodrigues a liderar a oposição.


_______________________________

TOP 5
Frente-a-frente

1 "Na Madeira foi criado um movimento: 'não queremos refugiados na nossa região'" - Este discurso da hipótese de podermos deixar entrar radicais é óptimo para dar a conhecer os radicais que temos cá.

2 "Jornalista da CMTV ao homem da Telepizza: 'Que pizza pediu Sócrates?'" - Sócrates vai comprar uma Bimby e a CMTV fecha.

3 "Petição contra a entrada de refugiados questiona quantos infiltrados do ISIS não haverá nesta onda de 'migrantes'" - Não tem que enganar, os refugiados do ISIS são os que vêm de Jeep Toyota.

4 "Polícia lançou gás de pimenta contra lesados do BES" - Já não bastava o Salgado. Querem temperar os pobres coitados.

5 "Repórter húngara filmada a pontapear e rasteirar refugiados" - Vai ser contratada pelo jornal Observador. Avisem a direita que os "migrantes" não contam para as importações.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI