A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
João Quadros - Argumentista 27 de Agosto de 2009 às 11:56

"Rear aluminum window"

Vendo o aproximar do final das minhas crónicas, sem que até agora tenha sido possível pôr fim à actual situação entre Belém e São Bento, telefonei ao Presidente da República. Mas o telefone tocou , ninguém atendeu e foi parar à caixa de mensagens...

  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
Vendo o aproximar do final das minhas crónicas, sem que até agora tenha sido possível pôr fim à actual situação entre Belém e São Bento, telefonei ao Presidente da República. Mas o telefone tocou , ninguém atendeu e foi parar à caixa de mensagens. Tentei mais dez vezes e nada. À décima primeira, lá atendeu e disse - Sabe que horas são?!! Quatro da manhã!!! Já chega! - e desligou. Presumo que as minhas relações com o Presidente já tenham tido melhores dias.

O Presidente de todos os portugueses, com setenta saudáveis anos, devia respirar fundo e parar de se desgastar com o que só nos desgasta. Em vez de andar a espicaçar o Governo de alguns portugueses e o partido de Sócrates, devia arranjar um "hobby" (dentro do mesmo género) como, por exemplo: criar abelhas - um presidente apicultor. Dizem que acalma, há muito espaço nos jardins de Belém e o mel da Presidência podia ser uma referência; e ter uma loja como a dos pastéis. Não vejo o Presidente da República como uma mera figura decorativa, acho que também podia, e devia, ter parte activa na divulgação dos produtos regionais.

Enviar diplomas a toque de caixa para serem assinados antes que acabe a legislatura fica mal e dá Freeports. Mas tanta actividade de um Presidente da República, "antes que as pessoas comecem a votar", também tem que se lhe diga.

Acho Aníbal Cavaco Silva parecido com o James Stewart. Talvez influenciado por isso, gostava que o Presidente de todos os portugueses, pelo menos em tempo de eleições, fosse uma espécie de Jeff , o repórter de perna engessada, herói da "Janela Indiscreta", de Alfred Hitchcock. Sentado a observar o que se passa, através da sua "rear window", vendo as vidas dos vizinhos decorrer, sem tomar partido por nenhum (apesar de achar graça à loira, com um penteado estranho, do terceiro direito) e só intervindo, evitando histerismos, se presenciar algum crime. Sei que Sócrates concorda com esta metáfora e aposto que até conhece gente capaz de partir uma perna ao Presidente.

Vamos lá fazer um esforço - "Janela Indiscreta", sim. "Intriga Internacional", não.

Argumentista/humorista
Assina esta coluna todos os dias durante o verão
Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias