Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Jorge Fonseca de Almeida 13 de Maio de 2020 às 14:13

Uma campanha meritória

Que aconteceria se outros, por exemplo o Brasil ou a França, fizessem aos nossos emigrantes o que fazemos aos imigrantes que se estabelecem em Portugal?

  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Iniciou-se este fim-de-semana a fase de recolha de donativos da Campanha Antirracista de Apoio Imediato lançada por um grupo de pessoas preocupadas com as condições de vida das comunidades negra e cigana, as comunidades mais afetadas pela pandemia, quer em termos de saúde quer em termos de condições sociais.

 

Na verdade em Portugal, segundo os dados do Banco Alimentar contra a Fome, os números de pessoas que precisam deste tipo de apoio tem vindo a subir rapidamente nas últimas semanas ultrapassando já as 600.000 (seiscentas mil), isto é cerca de 6% da população portuguesa! Portugal tem vindo lentamente a regressar ao regime anterior ao 25 de Abril em que a segurança social existia apenas para uma faixa da população, ficando os restantes portugueses entregues nas mãos da caridade privada. A pandemia está a acelerar esse processo.

 

Ora o processo de desresponsabilização do Estado sobre vastas camadas da população, incide particularmente sobre as comunidades racializadas e sobre os imigrantes.

 

Vimos imagens perturbadoras e vergonhosas de imigrantes brasileiros desempregados no aeroporto procurando desesperadamente fugir do nosso país. Que aconteceria se outros, por exemplo o Brasil ou a França, fizessem aos nossos emigrantes o que fazemos aos imigrantes que se estabelecem em Portugal?

 

Esta campanha antirracista de apoio imediato visa recolher donativos e fazê-los chegar rapidamente às situações mais urgentes, de carência alimentar, de falta de medicamentos, etc., através das associações que estão no terreno e que fazem frente a todo o tipo de dificuldades. Quem está próximo sinaliza e os recursos recolhidos são para aí canalizados.

 

A grande maioria dos portugueses são solidários. Procuram ajudar o próximo, certos que, na sociedade que vivemos, não estão livres de no futuro serem eles próprios a precisar.

 

Eu decidi contribuir. Já o fiz. É simples e fácil. Basta fazer uma transferência para PT50 0033 0000 45600209542 05. Há milhares de pessoas, incluindo muitas crianças, que sofrem privações graves. É tempo de agir. A inatividade mata.

 

Economista

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias