Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Jorge Marrão 16 de Março de 2020 às 18:40

A primeira emergência europeia?

O estado de emergência vai ser declarado por Nação. Não deveria ser declarado um estado de emergência europeu? A Presidente da Comissão Europeia avisou. Oxalá a ouçam.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A FRASE...

 

Governo anuncia controlos na fronteira com Espanha e impõe nove pontos de passagem"

 

Negócios on line, 16 de Março de 2020

 

A ANÁLISE...

 

Este é um momento único na vida de uma família, das comunidades, de um país, e de um mundo carregado de dúvidas. Infelizmente, temos agora uma certeza: combater um inimigo microscópico desconhecido que nos obriga ao fecho das "fronteiras", sejam aéreas, terrestres, ou marítimas, mas também ao fecho dos seus "mercados", que nada mais são que a organização das decisões livres de milhões de empresas e das famílias. São os recursos de uma sociedade, privados ou públicos, que podem normalizar a vida: neste caso, os dedicados à ciência e à saúde.

 

Estas decisões – que a esquerda radical demoniza como "privados" - ao alterarem-se drasticamente vão gerar novas prioridades de contornos inimagináveis. Não há planeamento central que valha neste momento para se reorganizarem estas decisões. Os fundamentalistas ideológicos e tribalizados devem estar perdidos: não sabem onde estão os lucros e não sabem como socializar as perdas. As cantigas iniciadas na crise de 2008 para explicar os insucessos dos "mercados" têm de ser reescritas. O mundo mudou outra vez. Os Estados como reguladores últimos da vida coletiva têm de intervir. Mas, quais Estados e para quê?

 

Se alguns deles encerram as suas fronteiras com os seus vizinhos, nas democracias europeias poucos se atrevem a fechar as fronteiras administrativas do seu próprio país. Releva assim a ideia do Estado-Nação. Esta ideia levada ao extremo nesta Europa da democracia liberal, do Estado de direito e da economia de mercado, à qual nos devemos orgulhar de pertencer, induzirá alguns nacionalismos bacocos e oportunistas e estéreis debates entre Estado e "privados". A guerra bacteriológica iniciou-se. O estado de emergência vai ser declarado por Nação. Não deveria ser declarado um estado de emergência europeu? A Presidente da Comissão Europeia avisou. Oxalá a ouçam.

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências diretas e indiretas das políticas para todos os setores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias