Cronista
José M. Brandão de Brito
José M. Brandão de Brito Bolsonaro e a divisão do Brasil 07.11.2018 José M. Brandão de Brito
Só foi preciso uma crise económica para que o enorme descontentamento social adquirisse uma expressão política radical. No Brasil, deu pelo nome de Bolsonaro; nos EUA, de Trump; em Itália, de Salvini e Maio. Terá parado por aqui?
José M. Brandão de Brito O TARGET italiano a não abater   22.10.2018 José M. Brandão de Brito 40
Para domar a rebeldia orçamental de Itália bastaria aos líderes europeus nada fazer. A pressão exercida pelos mercados sobre as finanças italianas levaria o governo a hastear a bandeira branca sob pena de ter de se ejetar do euro.
José M. Brandão de Brito Só o que arde cura 24.09.2018 José M. Brandão de Brito
A Fed só deixará de subir as taxas e drenar liquidez se os EUA entrarem em recessão ou se houver um dominó de bancarrotas nos mercados emergentes ou uma quebra nos mercados financeiros ou… tudo junto.
José M. Brandão de Brito Itália: onde estão os críticos da austeridade? 05.09.2018 José M. Brandão de Brito
Muitos acham que basta à Europa deixar os "spreads" da dívida italiana explodir para pôr Roma em sentido.
José M. Brandão de Brito O sonho de Trump  08.08.2018 José M. Brandão de Brito
Trump sabe que pela dinâmica atual a China se aproxima cada vez mais dos EUA em todos os domínios e que para inverter esta tendência é preciso capital: económico, financeiro e geopolítico.
José M. Brandão de Brito O sonho de Merkel 30.07.2018 José M. Brandão de Brito
A importância que Merkel teve na condução da Europa nos anos da crise é amplamente reconhecido - certamente na sua pátria. Porém, este seu legado só será reconhecido se a moeda única sobreviver.
José M. Brandão de Brito O sonho de Draghi 16.07.2018 José M. Brandão de Brito
Para que Draghi possa ser consagrado como o salvador do euro, a economia europeia tem de suster a extensa miríade de riscos que por aí pululam até novembro de 2019, quando termina o seu mandato no BCE.
José M. Brandão de Brito O sonho de Macron 27.06.2018 José M. Brandão de Brito
Macron percebeu que com o declínio de Merkel, que fora o sustentáculo do projeto europeu, só um tremor como o Brexit poderia induzir um ímpeto regenerador à UE.
José M. Brandão de Brito Tempestade perfeita nos mercados emergentes 11.06.2018 José M. Brandão de Brito
A dívida em dólares dos mercados emergentes deverá ser uma das primeiras vítimas. Esta circunstância torna-se ainda mais penosa pelo considerável aumento da emissão de dívida pública dos EUA para financiar os cortes de impostos de Trump.
José M. Brandão de Brito Tempestade perfeita na Europa 28.05.2018 José M. Brandão de Brito 21
A redução das compras de dívida do BCE está já a refletir-se num abrandamento do crédito, com efeitos negativos sobre a procura agregada da área do euro.