Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Jorge Marrão 02 de Junho de 2014 às 19:20

A Europa que nos enterra

Um país que se endividou em termos privados e públicos por valores incomportáveis nunca poderá utilizar o argumento que a falta de financiamento foi a causa da desgraça da estagnação do PIB nos últimos 14 anos.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

 

A FRASE...

 

"O novo quadro de apoio financeiro da UE tem de ser usado para alterar o perfil de produção de Portugal."

 

Helena Garrido, Directora do Negócios. In Negócios, 28 de Maio de 2014

 

A ANÁLISE...

 

Os investimentos não se deixaram de fazer por escassez de crédito ou capital, ou por taxas de juros insuportáveis, ou por falta de fundos comunitários.

 

Na prática, estes investimentos não foram indutores de crescimento. O que poderá explicar este infortúnio colectivo que atirou, em duas décadas, gerações para o desemprego, falta de oportunidades e rendimentos letárgicos? Muita coisa, mas a falta de princípios económicos saudáveis é uma delas.

 

As engenharias governamentais e mastodônticas do planeamento centralizado, a selva das políticas e regulações económicas e a "administração burocrática" do investimento debateram-se com Hayek e Friedman. A apatia económica no Leste socialista deu-lhes razão. Volveram décadas, e o que esquecemos? O Banco Mundial em África, as instituições do "desenvolvimento planeado" e a Europa dos fundos encharcam os países desafortunados com apoios. Os resultados são (in)visíveis.

 

Há uma Europa que nos ajuda, mas há uma outra que nos enterra. Viva o dirigismo dos gabinetes de Bruxelas, abaixo a miopia dos investidores privados. Não se queixem depois da socialização dos prejuízos e da dívida impagável. Como alguém disse: o que move a economia são incentivos, e o resto apenas comentários.

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias