Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Joaquim Aguiar 13 de Setembro de 2016 às 13:11

Crise de regime  

A crise terminal de um regime político ocorre quando as entidades que integram esse sistema político perdem o seu poder de regeneração e conservam apenas o seu poder de reprodução das suas relações de dominação - o poder político reproduz-se e não muda, repete e não inova nem corrige.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A FRASE...

"Não existe qualquer hipótese de pacto, sectorial ou de regime, sobre o que quer que seja quando o país está dividido entre esquerda e direita, o que hoje acontece, com tendência para agravamento. O Presidente da República sabe isto muito bem."

António Barreto, Pactos, Diário de Notícias 11 de Setembro de 2016

 

A ANÁLISE...

Na sua crise terminal, o regime político mantém o poder, mas não identifica, nem neutraliza, os factores de crise que gerou no seu interior, no seu processo de decisão e no regular funcionamento das suas instituições.

 

O poder de regeneração de um regime político é a capacidade para corrigir desequilíbrios acumulados no passado e para formular estratégias que sejam consistentes com o que passou a ser o seu novo campo de possibilidades, depois de este se ter contraído pelos efeitos induzidos por esses desequilíbrios. A crise terminal de um regime político forma-se quando se verificam conjuntamente duas incapacidades, a de corrigir os desequilíbrios acumulados e a de formular estratégias que reconheçam a contracção do campo de possibilidades que resultou dessa acumulação de desequilíbrios.

 

Nas doenças mentais, a denegação é a recusa do doente em reconhecer os sintomas da sua doença, rejeitando a terapêutica porque recusa reconhecer que tem essa doença. Nas crises terminais em política, cada parte refugia-se no seu lado para justificar ter de combater o outro lado. Quando é a realidade que vai decidir, para que serve a política? Marcelo Caetano soube isto muito bem, Marcelo Rebelo de Sousa também.

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

 

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias