Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Joaquim Aguiar 05 de Maio de 2020 às 09:20

Da emergência à calamidade

Enquanto não for restabelecido o fluxo de rendimentos, não se poderá sair da calamidade económica, e isso significa que se fica sem defesa perante a emergência de crises sanitárias.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A FRASE...

 

"O mundo (ainda) tem saudades da América." 

 

Teresa de Sousa, Público, 2 de Maio de 2020

 

A ANÁLISE...

 

A emergência das primeiras respostas à crise sanitária gerou a calamidade económica, em que tem de se responder à pressão inédita que é criada pelo bloqueamento súbito da oferta e da procura, interrompendo o fluxo de rendimentos, paralisando o funcionamento dos mercados e impossibilitando as estratégias de ajustamento. Sem fluxos de rendimentos, as despesas com as responsabilidades contratuais assumidas no passado não têm correspondência em receitas, no presente e no futuro. Sem mercados de procura e de oferta, não é possível ter políticas de correcção dos desequilíbrios, por mais extremos que estes sejam. Enquanto não for restabelecido o fluxo de rendimentos, não se poderá sair da calamidade económica, e isso significa que se fica sem defesa perante a emergência de crises sanitárias.

 

 Há uma descontinuidade nas métricas, não tem sentido comparar os indicadores do presente com o que eram os padrões de equilíbrio estabelecidos no passado. Todavia, a descontinuidade nas métricas, que resulta da descontinuidade das condições realmente existentes para a decisão política, não é compatível com a continuidade dos quadros legais que foram definidos nas condições do passado e que vinculam as instituições que foram criadas e mandatadas dentro desses quadros normativos de leis e tratados. Quando o Tribunal Constitucional alemão se pronunciar sobre a legalidade das decisões do Banco Central Europeu, uma decisão negativa implicará a paralisia da instituição que tem os meios indispensáveis para restabelecer os fluxos de rendimentos nas economias europeias que entraram em estado de calamidade para responderem à emergência da crise sanitária.

 

Num contexto deste tipo, em que se perderam os referenciais quantitativos do passado e não se conhecem os padrões de equilíbrio do futuro, as plataformas de cooperação internacional são fundamentais para estabelecer o projecto de ordem futura que seja o factor de atracção para as decisões no presente: quando o alvo atrai a seta, a perícia do atirador é irrelevante. Mas foi neste contexto que os Estados Unidos escolheram isolar-se do mundo, condenando-o à calamidade da desordem. É a oportunidade para a Europa: construir o alvo que atrai a seta.

 

Artigo em conformidade com o antigo Acordo Ortográfico

 

Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências diretas e indiretas das políticas para todos os setores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias