Paulo Querido
Paulo Querido 23 de maio de 2013 às 00:01

Fraude fiscal custa 1 bilião por ano à UE

Tópicos – as palavras que fazem as notícias do mundo

1. Fraude fiscal custa 1 bilião por ano à UE 

«Em cada ano», recorda o presidente do Parlamento Europeu, «a União Europeia perde com a fraude fiscal um bilião de euros». E Martin Schultz acrescenta, para dar uma dimensão aos números: «são 2.000 euros por ano por cada cidadão da UE, ou 4 vezes o gasto per capita em educação».

 

A Intermon Oxfam fez as suas contas e diz que 2/3 da fortunas mundiais estão escondidas em paraísos fiscais ligados à UE; estão 80.000 milhões de euros a menos nos cofres públicos da UE. Com os 120.000 milhões à escala global, podia-se «acabar 2 vezes com a pobreza no mundo». Entretanto, ontem François Hollande e Angela Merkel juntaram-se a David Cameron na batalha contra os malabarismos com os impostos e os paraísos fiscais.

 

Pedem à União o reforço da luta contra a evasão fiscal. Sem prejuízo de atender aos interesses das empresas e indivíduos que (ab)usam (d)o sistema, quem criou os paraísos fiscais é a quem compete corrigir as regras.

 

 

 

2. FMI

No Reino Unido o rendimento per capita continua a ser 6% inferior ao nível registado antes da crise financeira. O Fundo Monetário Internacional recorda-o no relatório anual, no qual diz haver «sinais encorajadores» na economia britânica. Para o FMI o Reino Unido deve aliviar a política de austeridade a favor do crescimento e manter os programas de estímulo. Tal como nos Estados Unidos, a retoma económica não se aguenta sem estar ligada à fábrica de dinheiro.

 

 

 

3. FED/BEN BERNANKE

O presidente da Reserva Federal avisou o congresso americano: retirar os estímulos à economia pressupõe colocar fim à recuperação económica em curso no país. Ben Bernanke defendeu os efeitos positivos do programa de compra de títulos e prometeu mantê-lo até que o mercado de trabalho melhore «substancialmente». Pode demorar o seu tempo: nos últimos 30 meses a taxa de desemprego baixou menos de uma décima por mês e continua acima da fasquia dos 7,5%.

 

 

 

 

"Tópicos" é uma ferramenta do Negócios que faz pesquisa inteligente das notícias de economia mundiais. Consulte e saiba mais em www.negocios.pt

pub