Pedro Fontes Falcão
Pedro Fontes Falcão 04 de junho de 2019 às 19:35

Trump e Mourinho - irmãos siameses?

Trump tem uma cobertura mediática muito significativa por todo o mundo e um potencial elevadíssimo de divulgação das suas ações e afirmações, seja pelos meios de comunicação tradicionais, seja pelas redes sociais.

Ainda esta semana, antes de aterrar em Londres, já tinha criticado severamente o "mayor" de Londres (com quem já tinha trocado uns "mimos" no passado) e já opinou sobre o modo de saída da EU pelo Reino Unido, sugerindo uma opção extrema, o que levou a que surgissem muitas críticas à sua abordagem.

 

Ele tem gerido as muitas críticas dos meios de comunicação através do Twitter, tentando "fintar" assim os media e ir passando as suas mensagens ao seu modo.

 

De polémica em polémica, ele vai tendo, naturalmente, elevada cobertura mediática, ganhando inimigos e também apoiantes. É difícil ficar indiferente a Trump: "Ou se odeia ou se adora". E parece ser essa a lógica de Trump. A questão que se coloca é até que ponto ele consegue ir ganhando mais apoiantes do que críticos, de modo a assegurar a sua reeleição.

 

Mas não nos podemos esquecer de que, na realidade, quem vota são apenas os americanos. E são esses que Trump tem de convencer. Por muito que a maioria dos europeus e outros povos considerem que Trump não deveria ser Presidente dos EUA, isso não afeta diretamente as eleições (indiretamente pode influenciar pela positiva ou pela negativa, pois os americanos podem ouvir as opiniões dos europeus, mas também podem não gostar da "ingerência" de europeus nos assuntos americanos).

 

A questão que Trump tem de ter em conta é durante quanto tempo o seu modelo de "constante polémico" vai continuar a ter sucesso (pelo menos na maioria do eleitorado americano). Se o modelo atual persistir com sucesso até às eleições, poderá voltar a ganhá-las. Se não, ele teria de mudar. Mas se mudar, vai ser o quê? Será que Trump sabe ser diferente?

 

Embora sejam diferentes em muitos aspetos (quero destacar bem isso), Mourinho também teve sucesso durante muitos anos com um modelo de alguma polémica e afronta, "esticando a corda" em muitas situações. Contudo, o modelo esgotou-se e Mourinho terá de se reinventar se quiser voltar à ribalta. Acredito, contudo, que seja mais fácil Mourinho conseguir mudar com sucesso do que Trump. Mas o modelo de Trump "só precisa" de ter sucesso até às próximas eleições americanas…

 

Gestor e Docente Universitário

pub

Marketing Automation certified by E-GOI