Pedro Fontes Falcão
Pedro Fontes Falcão 06 de novembro de 2019 às 10:20

Vida de estudante…

Portugal está muito bem posicionado na captação de estudantes estrangeiros. A ver se ainda conseguimos captar mais estrangeiros, mas sem prejudicar a estadia, principalmente em Lisboa e Porto, dos estudantes portugueses.

Ao ler as recentes notícias sobre as movimentações no mercado de residências universitárias, lembrei-me que o programa Erasmus, que permite o intercâmbio de alunos de muitos países europeus, foi criado com vários objetivos, sendo um deles menos conhecido, que é o de incrementar a criação de laços pessoais e emocionais entre os estudantes de vários países europeus para que essa "amizade" e proximidade diminuísse a probabilidade de guerra entre os povos europeus.

 

O Erasmus acabou por ter um impacto relevante em Portugal pois, sendo um país atrativo a vários níveis para os jovens (e não só), acabou por trazer muitos jovens para estudar cá num semestre.

 

Mas a experiência tem sido tão boa, que o "passa-palavra" acabou, em conjunto com a qualidade de várias universidades portuguesas, por atrair para cá alunos para frequentar mestrados e mesmo licenciaturas (em vez de apenas fazer um intercâmbio de um semestre). E isto acontece para europeus e não europeus.

 

O impacto económico foi muito positivo para Portugal, pois as despesas dos alunos, das suas famílias ou amigos que os visitam, o efeito do "passa-palavra" que atrai cada vez mais estrangeiros, entre outros, tem sido muito benéfico. Acresce a ligação emocional dos mesmos ao nosso país, que leva alguns a ficar cá a trabalhar e outros a tentar trazer posteriormente negócio para Portugal, ao trabalharem em empresas que pretendam expandir ou criar novas operações noutro país (e que escolhem Portugal).

 

Por tudo isto, o governo e entidades públicas deveriam tentar apoiar mais a vinda de alunos estrangeiros, nomeadamente a nível da obtenção dos seus vistos (quando necessário), mas também da principal desvantagem desta tendência - a habitação. Na prática, a possibilidade de um estudante estrangeiro ou português ter acesso a uma habitação condigna e a preços "aceitáveis".

 

O muito positivo efeito dos alunos estrangeiros não deve ser ofuscado pela falta de habitação para os alunos. Neste caso, têm surgido vários projetos privados e de universidades para construção e expansão de residências universitárias, que saúdo. Contudo, não chega, especialmente para estudantes mais carenciados, pelo que não podemos deixar de lado esta preocupação. Portugal está muito bem posicionado na captação de estudantes estrangeiros. A ver se ainda conseguimos captar mais estrangeiros, mas sem prejudicar a estadia, principalmente em Lisboa e Porto, dos estudantes portugueses.

 

Gestor e Docente Universitário

pub

Marketing Automation certified by E-GOI