Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Pedro Santana Lopes 09 de Agosto de 2018 às 21:50

Elevar o nível

É importante que os clubes tenham pessoas educadas como dirigentes, que dêem o exemplo aos adeptos e criem confiança aos investidores.

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Começa este fim de semana mais uma edição das competições profissionais de futebol. Ouvi noutro dia um candidato (o facto de definir um candidato não significa qualquer preferência eleitoral) à presidência do Sporting Clube de Portugal afirmar que, se for eleito, tudo fará para promover a normalização das relações com os outros clubes portugueses e para contribuir para um bom ambiente, em geral.

 

No futebol português, entre outros motivos, elencou um que considerou básico: o ambiente de conflito permanente e da chamada lavagem de roupa suja só prejudica o próprio negócio, independentemente doutras consequências. Referiu até que nos países onde o futebol tem mais força não acontece os presidentes de clubes andarem sempre a discutir e a ofenderem-se na praça pública.

 

Um amigo meu que passa a maior parte do tempo atualmente em Londres espanta-se sempre, quando está em Portugal, e repara no tempo que se consome cá a analisar, a dissecar, a comentar, os eventuais erros de arbitragem. Costuma ele dizer que em Inglaterra os programas desportivos não perdem mais do que dois minutos com esse tipo de assuntos. Analisam e comentam a tática de cada equipa, as jogadas mais espetaculares, os golos e as "performances" de cada jogador.

 

A indústria do futebol, em Portugal, se quer ser economicamente rentável, precisa de facto de sanear o ambiente. Tem de demonstrar aos espetadores, aos consumidores, aos anunciantes, aos patrocinadores, que o único futebol que interessa é o que se joga dentro das quatro linhas. É importante que os clubes tenham pessoas educadas como dirigentes, que deem o exemplo aos adeptos e criem confiança aos investidores. Aliás, deve ser assim em tudo na vida mas, neste caso, é tão mais importante quanto a enorme atratividade deste desporto que desperta paixões em milhões e milhões de pessoas em todo o mundo. 

 

Como se sabe, na Europa, o movimento de setores influentes é cada vez mais no sentido de dar força cada vez maior à Liga dos Campeões, na qual jogariam, toda a época, as principais equipas europeias. Não sei se Portugal irá a tempo para conseguir mais e melhores lugares nesse comboio em andamento. Mas, a propósito de tempo, não se pode perder mais tempo para concretizar essa elevação do nível que se respira em torno do futebol nacional. 

 

Advogado

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico 

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias