Ontem
Camilo Lourenço Populismo? Mas ele já cá anda... 18.06.2019 Camilo Lourenço
O mesmo governo passou 4 anos a apoucar publicamente instituições que, felizmente, não controla (Banco de Portugal, Conselho de Finanças Públicas, Autoridade da Concorrência, ANACOM), tentando minar a sua credibilidade.
Colunistas Sindicalismo e economia social 18.06.2019 Américo Monteiro
Nos anos de 1500 eram já 23 as misericórdias no país.
Francisco Mendes da Silva A facilidade com que o PS domina a agenda mediática 18.06.2019 Francisco Mendes da Silva
Especialmente os trabalhadores do sector privado, não deverão ter ficado radiantes com esta promessa de aumentos na função pública.
Colunistas Novos "pedrógãos" podem acontecer 18.06.2019 José Martino
O Governo tem de canalizar mais 300 milhões de euros para a gestão florestal. Ninguém investe em Portugal na floresta sem apoios públicos. Exceto no setor da celulose e do montado. É por isso que a área ardida nestes setores representa apenas 5% do total.
Isabel Stilwell Como fugir a festas de casamento 18.06.2019 Isabel Stilwell
Abriu a época das festas de casamento, há que saber fugir delas.
Jorge Fonseca de Almeida Ainda as Europeias 18.06.2019 Jorge Fonseca de Almeida 35
De facto o Partido que mais perde é o PS que de 12 deputados em 2004 passa para 9, absorvendo isoladamente a baixa de deputados de Portugal – o nosso país perdeu 3 deputados europeus, passando a representação nacional de 24 para somente 21.
Anteontem
Joaquim Aguiar Direita e esquerda 17.06.2019 Joaquim Aguiar
Podem repetir-se as eleições que a resposta do eleitorado será sempre a mesma, porque o que lhe é apresentado para escolher também será sempre o mesmo.
Camilo Lourenço Enfermeiros, podeis voltar às greves! 17.06.2019 Camilo Lourenço 582
O primeiro-ministro prometeu aumentos de salários para a função pública. O PS admite abrir as comportas da contratação para o Estado, eliminando a limitação de uma entrada por cada duas saídas.
Paulo Carmona Turista rico, português pobre 17.06.2019 Paulo Carmona 33
O turismo é bom porque os turistas pagam bem, mais que os portugueses, e têm o tal efeito real de riqueza na economia. Contudo também por isso são um espelho da nossa pobreza.
João Carlos Barradas Guerra ou coisa pior 17.06.2019 João Carlos Barradas
A denúncia do acordo nuclear entre a União Europeia, Rússia, China e Irão tornar-se-á praticamente inevitável a curto prazo caso Teerão ultrapasse os limites de armazenamento de urânio passível de uso militar.

Marketing Automation certified by E-GOI