Fernando Ilharco
Fernando Ilharco 17 de maio de 2018 às 21:13

A escalada emocional

Os escândalos e as crises são as dinâmicas que hoje mais atraem a atenção das audiências, dos media tanto tradicionais como digitais.

No futebol, na política e na sociedade em geral, a concorrência tem vindo a ser marcada por uma emocionalidade e animosidade crescentes entre adversários. Não é fatalidade, mas o ambiente digital, informacional e comunicacional, contemporâneo, facilita o constante rufar de tambores.

 

O ambiente mediático e a linguagem usada nos debates e nas discussões têm cada vez mais registos agressivos, contundentes, escandalosos, inundados de rumores, de ameaças veladas e por vezes de ameaças explícitas, etc. Por um lado, os escândalos e as crises são as dinâmicas que hoje mais atraem a atenção das audiências, dos media tanto tradicionais como digitais; por outro lado, o ambiente digital tem tornado o contacto pessoal menos habitual entre adversários, o que parece estar também a prejudicar a cordialidade, o consenso e a moderação.

 

Nos Estados Unidos, por exemplo, um estudo do Pew Research Center descobriu que, em geral, os membros ou simpatizantes de um partido político consideram que os apoiantes de outros partidos políticos têm menores capacidades para entender os problemas da sociedade e para actuar com eficácia. E trata-se de um sentimento que se está a agravar.

 

Nas eleições americanas de 2016, nos dois lados da corrida presidencial, simpatizantes do Partido Republicano e do Partido Democrata, consideravam o outro lado "muito desfavoravelmente". Cerca de 45% dos republicanos e 41% dos democratas acreditavam que as políticas do outro partido eram "perigosas para o país". Por outro lado, 68% dos republicanos justificaram a sua escolha política pela oposição às políticas dos adversários; entre os apoiantes do Partido Democrata esse número era de 64%. O motivo principal para apoiar um ou outro partido não era defender esta ou aquela política, mas ser contra este ou aquele entendimento ou este ou aquele grupo de pessoas.