Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Fernando Sobral fsobral@negocios.pt 27 de Outubro de 2009 às 12:08

A crise do PSD

Sun Tzu pode ser um belo conselheiro para a guerra civil que se está a preparar, mais uma vez, no PSD. Dizia ele: "conhece-te a ti próprio, conhece o teu inimigo, a tua vitória nunca será posta em perigo. Conhece o terreno, conhece o teu tempo, a tua vitória será...

  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...
Sun Tzu pode ser um belo conselheiro para a guerra civil que se está a preparar, mais uma vez, no PSD. Dizia ele: "conhece-te a ti próprio, conhece o teu inimigo, a tua vitória nunca será posta em perigo. Conhece o terreno, conhece o teu tempo, a tua vitória será então total". Para a vitória os movimentos devem ser feitos em ordem e não no pandemónio total a que se está a assistir. Só vencerá, convictamente, quem souber a táctica certa em cada momento para que o seu tempo o seja no tempo do PSD. Marcelo Rebelo de Sousa sabe que o seu tempo é outro e a sua estratégia é diferente. Passos Coelho intui que a luta entre os senhores da guerra do PSD os deixará todos exangues. Pacheco Pereira culpa os outros de "balcanização" como se fosse da NATO, mas sabe-se que a confusão é a forma de se ilibar dos seus universos paralelos: é Jedi ou Darth Vader? Paulo Rangel mantém-se calado, à espera de uma manifestação à porta de casa. O problema do PSD é, neste momento, só um: os seus senhores da guerra lutam por poder pessoal e não por ideias. O PSD tornou-se num Afeganistão político: o líder está cercado, os senhores da guerra governam as suas tribos, e todos se aliam momentaneamente contra um inimigo comum. Como estratégia política parece típica de um "kamikaze". Como táctica não é muito diferente de um "harakiri", mas sem o requinte colocado nele por quem queria defender a honra e a dignidade. O PSD precisa de um novo líder. Ninguém o duvida. Mas primeiro tem de descobrir para que é que o quer.
Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias