Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 24 de julho de 2019 às 19:00

Aceitam-se sugestões para reestruturar banco

O escândalo de branqueamento de capitais, que, no último ano, se abateu sobre o dinamarquês Danske Bank, forçou a mudanças profundas na instituição, que ainda se procura reerguer das acusações nas quais se viu envolvido.

Mas o novo líder do Danske Bank não quer tomar todas as decisões sozinho. Determinado em promover uma cultura de maior transparência, Chris Vogelzang quer que qualquer pessoa com uma boa ideia para o banco o contacte. Num artigo citado pela Bloomberg, o antigo banqueiro do ABN Amro apela a investidores e funcionários que colaborem com ele na reestruturação do Danske Bank e quer ouvir as suas sugestões diretamente. "Estamos a tentar ser o mais transparentes possível", adiantou Vogelzang à agência noticiosa. "Quero que todas as pessoas no banco possam falar se acreditarem que as coisas querem melhorar", adiantou. E para que isso seja possível, o CEO do maior banco privado da Dinamarca distribuiu os seus contactos pelos colaboradores do banco e outras pessoas na Escandinávia, para que lhe possam enviar um email com as suas ideias. Um paradigma totalmente novo para um banco em dificuldades. É caso para dizer: ideias precisam-se.

 

Jornalista

Marketing Automation certified by E-GOI