Raquel Godinho
Raquel Godinho 28 de fevereiro de 2018 às 21:02

Afinal, o que é que a Índia tem?

Depois de um mês de Janeiro positivo, Fevereiro não trouxe facilidades às principais bolsas mundiais. E os mercados emergentes não escaparam.

Mas há quem defenda que continua a haver oportunidades e que algumas regiões podem assumir-se como um refúgio. É o caso da Índia, cujo índice de referência perdeu quase 5% no último mês, praticamente anulando os ganhos acumulados desde o início do ano. James Syme gere o fundo britânico JO Hambro Capital Management, que tem cerca de 40 mil milhões de dólares sob gestão, e está a investir na Índia, revela a Bloomberg. Isto porque acredita que este mercado tem potencial para brilhar, apesar das dificuldades que a subida das taxas de juro podem trazer para os mercados emergentes, dos problemas em torno da China e das "avaliações caras". "A economia da Índia parece a Primavera à espera de chegar", afirmou Syme em entrevista. E, por isso, "mesmo se a Fed anunciar quatro subidas de juros, mesmo se o crescimento chinês abrandar, a história da Índia vai continuar", justificou. E o gestor lembrou ainda que, ao contrário de países como o Brasil, a Turquia e a China, a Índia não teve problemas relacionados com a bolha do crédito, na última década. É uma questão de esperar para ver.

 

Jornalista

pub