Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião

Alexandre Soares dos Santos, um empreendedor exemplar

Não descuide o futuro da sua empresa, mesmo quando atravessa bons momentos. Cuide do seu maior activo, o capital humano.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 17
  • ...
Presidente da Jerónimo Martins, sem querer e por outros motivos, acabou por enriquecer o País quanto ao que deve ser um empreendedor exemplar.

Foi a caminhada mais longa que fiz na passadeira do ginásio, sintonizada no canal da SIC Noticias, onde permaneci quase 1h, não por necessidade física, mas sim porque não conseguia parar de ouvir Alexandre Soares dos Santos, Presidente do Grupo Jerónimo Martins, na sua excelente entrevista dada à SIC Noticias.

Enquanto caminhava na passadeira no nível 6, Soares dos Santos não saia do nível 10 na sua entrevista. Sem querer e pelos motivos que recentemente vão fazendo manchete nos jornais e televisões quanto à campanha do Pingo Doce, Soares dos Santos acabou por enriquecer-nos quanto ao que deve ser um verdadeiro empreendedor.

Foi depois de ver a entrevista que decidi escrever, não sobre o tema em questão, mas sobre aquilo que considero serem mensagens importantes para todos os empreendedores em Portugal.

Cristão e com 77 anos de idade, Soares dos Santos refere dois aspectos que o preocupam; o futuro do negócio de família a 10 anos, e os recursos humanos. Começo por comentar as suas preocupações, onde a primeira "futuro da empresa a 10 anos" não deve ser esquecida pelos empreendedores. O facto de um negócio correr bem, não deve necessariamente implicar desleixo ou despreocupação. É importante reflectir sobre o futuro e ter visão para que o negócio se consiga sustentar a longo prazo.

A preocupação com os recursos humanos, foi talvez a mensagem mais importante e mais forte em toda a sua entrevista. Afirma ter constituído um fundo de 3M€ para ajudar 2.000 funcionários, está disponível para cortar o seu próprio salário para ajudar os colaboradores, de portas abertas para receber os colaboradores com o objectivo de resolver os seus problemas, e compensa os seus funcionários quando estes excedem a produtividade esperada.

Quando constituímos uma empresa este deve ser o nosso primeiro objectivo: Fazer com que todos juntos consigamos vencer, recompensar essa vitória, e reconhecer o trabalho feito. Na gigantesca economia mundial, perderam-se todos estes princípios, e as pessoas passaram a ser números. É difícil lutar contra esta teoria, e o próprio ressaltou alguns exemplos disso, revelando que os administradores estrangeiros sugerem reduzir em pessoal para aumentar lucros. A resposta de Soares dos Santos, mais uma vez foi digna de um homem sensível à situação actual, dando a entender que desconhece ele e o seu administrador, o preço de uma simples garrafa de agua, tentando mostrar com esse exemplo que ambos desconhecem a crise, e que os milhares de colaboradores que tem a seu cargo, merecem o seu apoio em especial em momentos tão difíceis como os que atravessamos.

Infelizmente, e cada vez mais, pessoas que deram o seu melhor encontram-se hoje numa situação financeira muito grave, chegando mesmo ao ponto de não terem dinheiro para alimentar os seus filhos. A culpa não foi de muitos deles, mas sim da degradação da economia mundial, que acabou por descuidar o activo mais importante, as pessoas. As empresas esquecem-se que um cidadão que não tem receitas, não consome, logo a empresa sofre uma quebra nas suas receitas, e assim sucessivamente até chegarmos a um cenário de pobreza. Para além disso temos a questão humana, onde Soares dos Santos mostra ser um exemplo a seguir.

Outra das notas que retive, e que concordo totalmente, é ser-se transparente. Dizer o que vai na alma, porque não? É precisamente esta atitude que falta na nossa cultura. As repostas políticas de grandes personalidades que não levam a lado nenhum e que Soares dos Santos mais uma vez deixou recado: "O português tem medo de falar". Se queremos ser empreendedores, políticos, cidadãos, etc sérios, honestos e transparentes temos de responder com total transparência às questões que nos colocam. Esta atitude mostra muito de cada um de nós. Quem arrisca ir por este caminho, sujeita-se sempre a mais criticas mas a longo prazo compensa, pois todos ficam a saber com quem estão a falar e acabam por apreciar essa honestidade.

Também afirma a imensa capacidade dos Portugueses. Uma afirmação natural de quem teve experiência internacional e que sabe distinguir o que temos cá dentro quando comparado com o que existe lá fora. Reforço também por experiência própria: "o Português não acredita em si e na sua capacidade de execução". Achamos sempre que os outros são melhores. Temos aquilo que eu chamo, uma boa base para fazer pizza, mas apenas nos falta, por vezes, juntar os bons ingredientes.

Como ultima nota, assume que está preocupado com o futuro da União Europeia, e que não consegue captar investimento estrangeiro enquanto permanecerem as dúvidas quanto ao Euro. Esta não é uma preocupação apenas para grandes grupos, mas também para todas as PME em Portugal. Os políticos responsáveis pelo futuro da união europeia devem estar alerta para estes comentários, não só porque podem destruir muitos postos de trabalho, como os podem comprometer quanto ao seu crescimento.

Em resumo, não descuide o futuro da sua empresa, mesmo quando atravessa bons momentos; cuide do seu maior activo, o capital humano; seja transparente e diga o que pensa e não o que é politicamente correcto, pois trar-lhe-á benefícios a longo prazo; acredite em si; e esteja atento às medidas tomadas pelos governantes na união europeia. Tivemos todos a oportunidade de receber uma boa palestra do que é ser um empreendedor exemplar, de forma totalmente inesperada. Obrigado Sr. Soares dos Santos.




Envie para o "e-mail" jng@negocios.pt as suas questões sobre "Alexandre Soares dos Santos, um empreendedor exemplar"


*Fundador e líder executivo da Zonadvanced - Grupo First



Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias