Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 17 de julho de 2018 às 21:49

Aproveitar o pânico ou não resistir à tendência?

Nem todos têm nervos de aço para manter o seu capital investido em momentos de correcção e suportar perdas de capital, que podem ser momentâneas ou não.

Identificar o ponto alto e baixo do mercado é um exercício praticamente impossível de fazer. Daí que muitas vezes os investidores não resistam a comprar acções após períodos prolongados de ganhos nas bolsas e evitem estar no mercado em momentos de maior turbulência.

A verdade é que deveriam fazer precisamente o oposto. Mas, nem todos têm nervos de aço para manter o seu capital investido em momentos de correcção e suportar perdas de capital, que podem ser momentâneas ou não.

Indiferente à maré negativa que a bolsa chinesa atravessa - índice de Xangai já entrou em mercado urso - há um "hedge fund" que tem aproveitado os momentos de descida para reforçar a sua exposição às acções chinesas. O Springs China Opportunities informou os seus investidores, numa carta citada pela agência Bloomberg, que está a usar o "pânico" no mercado para aumentar o investimento em empresas "mais penalizadas e subavaliadas".

Este movimento surge depois da bolsa chinesa ter afundado 12% desde o fim de Maio, devido à crescente tensão entre a China e os EUA. Ainda assim, nada garante que esta seja a melhor estratégia. Para já, este fundo desvaloriza cerca de 17% em 2018. Contrariar a tendência não é fácil.

 

Jornalista

Marketing Automation certified by E-GOI